Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.608,76
    -345,14 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.036,38
    +293,23 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,66
    +2,23 (+2,06%)
     
  • OURO

    1.808,30
    +6,80 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    19.777,70
    +332,04 (+1,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,24
    +9,10 (+2,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.232,65
    +64,00 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.554,00
    -57,25 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5546
    -0,0041 (-0,07%)
     

Latam retomará serviço de bordo a partir de 1º de junho

Latam retomará serviço de bordo a partir de 1º de junho
Latam retomará serviço de bordo a partir de 1º de junho
  • A medida vale para os voos domésticos da Latam;

  • A companhia voltará a oferecer de forma gratuita as opções de snacks doces, snacks salgados e bebidas;

  • a Azul informou que também retomará os serviços a partir do dia 22 de maio.

O serviço de bordo retornará aos voos domésticos da Latam no dia 1º de junho, segundo comunicado emitido pela empresa, nesta quarta-feira (18). Com isso, a companhia voltará a oferecer de forma gratuita as opções de snacks doces, snacks salgados e bebidas.

Anteriormente, na segunda-feira (16), a Azul informou que também retomará os serviços a partir do dia 22 de maio.

Proibida desde 17 de dezembro de 2020, a alimentação a bordo foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último dia 12. A proibição ocorreu devido às implicações da pandemia da Covid-19. Na avaliação atual da agência, o risco de exposição de viajantes a casos índice (pessoas infectadas) está bastante reduzido.

Senado aprova despacho gratuito de bagagem

O Senado aprovou nesta terça-feira a Medida Provisória (MP) 1.089, batizada de Voo Simples, que flexibiliza regras do setor aéreo e mantém a gratuidade para despachar bagagens em voos nacionais e internacionais.

O relator do projeto no Senado, Carlos Viana (PL-MG), havia retirado do relatório o item que prevê o despacho gratuito. O fim da cobrança pela bagagem despachada foi votada separadamente pelos senadores. O destaque foi pedido pelo senador Nelsinho Trad (PSD-MS), contrário a retirada da gratuidade.

Por causa das mudanças na MP, o projeto volta à Câmara para ser analisado novamente antes de ir para sanção presidencial.

O governo já trabalha com a possibilidade de derrubar a MP, sob a alegação de que a medida prejudicaria voos para o Norte e Nordeste, que teriam atratividade econômica reduzida. Além disso, ao carregar o peso extra das malas, os aviões precisariam de mais combustível, o que pode inviabilizar a entrada de companhias low cost no Brasil e representar maior poluição ambiental

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos