Mercado fechará em 2 h 6 min

Latam prevê aumento de 7% a 9% na demanda de passageiros no Brasil em 2020

Cibelle Bouças

Durante o ano passado, o grupo transportou mais de 74 milhões de passageiros para os cinco continentes O grupo Latam Airlines projeta para 2020 um crescimento de 7% a 9% na demanda de passageiros em seus voos domésticos no Brasil, em comparação com o ano passado.

Valor

Para a operação global, o grupo espera um avanço de 3% a 5% na demanda de passageiros, sendo um aumento de até 2% em voos internacionais e de 6% a 8% nos outros países de atuação da Latam — Chile, Peru, Argentina, Colômbia e Equador. Em 2019, a companhia registrou um avanço de 4,1% na demanda total de passageiros.

Durante o ano passado, o grupo transportou mais de 74 milhões de passageiros para os cinco continentes, um aumento de 5,4 milhões de passageiros em comparação com 2018 e o maior volume na história da companhia.

A companhia também informou que espera um aumento de 4% a 6% no transporte aéreo de cargas neste ano. No ano passado, houve queda de 2,2%.

A Latam informou ainda que espera uma margem operacional entre 7% e 8,5% em 2020. No ano passado, a margem operacional foi de 7,1%.

Frota

A Latam informou também que possui compromissos de frota para 2020 e 2021 no total de US$ 1,18 bilhão, sendo US$ 408 milhões neste ano e US$ 773 milhões em 2021. Para 2022, a previsão é de gastos de US$ 574 milhões com aquisição de aviões.

Desde o ano passado, os compromissos de frota do grupo foram reduzidos em US$ 1,1 bilhão, incluindo encomenda de aviões A350 que foi assumida pela Delta e outros ajustes nas entregas programadas de aviões de grande porte. A companhia buscou ajustar os seus compromissos de aquisição de frota a um cenário de crescimento menos intenso da demanda na América do Sul do que o esperado quando houve a fusão entre a chilena LAN e a brasileira TAM, em 2012.

A Latam encerrou o ano passado com uma frota total de 342 aviões e compromissos de frota de US$ 1,2 bilhão. A companhia estima ficar com uma frota de 341 aviões até o fim de 2020, 344 aeronaves em 2021 e 354 até o fim de 2022.