Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,84
    -0,19 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.924,30
    -5,20 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    12.892,46
    +1.835,45 (+16,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,08
    +13,19 (+5,39%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.475,61
    -163,85 (-0,69%)
     
  • NASDAQ

    11.628,25
    -63,00 (-0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Largura de banda da internet cresce 32% na América Latina com a pandemia

·1 minuto de leitura
Largura de banda da internet na América Latina subiu acima do esperado em meio à pandemia de coronavírus
Largura de banda da internet na América Latina subiu acima do esperado em meio à pandemia de coronavírus

A largura de banda internacional para a América Latina cresceu 32% em 2020, de acordo com o relatório "Redes em tempos de coronavírus", divulgado pelo Lacnic, órgão que gerencia endereços de internet na região. 

O crescimento representa um aumento de velocidade das conexões, que atingiram um total de 69 Tbps (terabytes por segundo), segundo o relatório da TeleGeography - uma firma de pesquisas do mercado de telecomunicações - enviado pela Lacnic à AFP.

Em nível global, a largura de banda da internet subiu 35% em 2020, enquanto a previsão dos especialistas era de um aumento de 26% na capacidade de transmissão de dados.

"As operadoras disponibilizaram cerca de 8% a mais de capacidade do que esperavam e acreditamos que isso aconteceu em resposta ao aumento abrupto e não planejado do tráfego que ocorreu devido à pandemia", disse na apresentação do relatório a analista Anahí Rebatta, da TeleGeography.

Este é o maior aumento em um ano desde 2013, segundo o relatório. Apesar das operadoras relatarem taxas de crescimento de tráfego acima do esperado em todas as regiões, a América Latina teve a diferença mais significativa, apontou Rebatta.

gv/mr/ic/mvv