Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.665,29
    +1.176,14 (+2,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Laptop de presidente da Câmara dos EUA foi roubado durante invasão ao Capitólio

Ramon de Souza
·1 minuto de leitura

A violenta invasão ao Capitólio dos Estados Unidos no início deste mês de janeiro culminou na morte de cinco pessoas e na prisão de vários protestantes — porém, os desdobramentos do incidente ainda podem se alongar. De acordo com um depoimento publicado pelo FBI, uma das pessoas envolvidas na invasão, identificada como Riley June Williams, teria roubado o laptop de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA.

Riley teria sido identificada em diversas filmagens da invasão, conduzindo outros manifestantes até a sala da democrata, que é a segunda na linha de sucessão à presidência, ficando atrás apenas do vice-presidente. Seu ex-namorado teria declarado às autoridades que, de fato, ela teria comentado suas intenções de roubar o notebook e repassá-lo ao Serviço de Inteligência Estrangeiro da Rússia.

O roubo foi bem-sucedido, conforme confirmou Drew Hammill, chefe de gabinete da democrata, em seu perfil no Twitter — porém, o próprio afirmou que o laptop seria usado apenas “para apresentações” e não contém qualquer tipo de informação sigilosa que possa interessar ao governo estrangeiro. Em entrevista à rede iTV News, a mãe da suspeita identificou a filha nas imagens, mas não soube dizer onde ela está.

No momento, o FBI tenta descobrir se o notebook chegou às mãos do contato russo, foi destruído ou continua em poder de Riley, que segue desaparecida. A jovem, que morava na Pensilvânia, desativou seu número de telefone e apagou suas redes sociais para dificultar seu rastreio. Mais de 200 pessoas são investigadas por participar da invasão criminosa ao Capitólio dos EUA.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: