Mercado fechará em 6 h 4 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,20
    +3,02 (+4,56%)
     
  • OURO

    1.789,20
    +12,70 (+0,71%)
     
  • BTC-USD

    57.157,43
    -843,86 (-1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.466,33
    +23,56 (+1,63%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.163,27
    +103,82 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.385,25
    +234,75 (+1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3511
    -0,0189 (-0,30%)
     

Lançado em 2019, Android 10 ainda é o sistema mais popular do Google

·2 min de leitura

O Android 11 está presente em quase um quarto dos smartphones com o sistema do Google, mas o Android 10 (lançado em 2019) ainda é o sistema operacional mais usado, revelou a gigante recentemente. A empresa mostrou que o sistema anunciado no ano passado cresceu bastante no mercado, mas a fragmentação ainda é um problema bastante presente no ecossistema da empresa.

Segundo o gráfico da plataforma de desenvolvimento Android Studio revelado pelo site 9to5Google, o Android R (11) figura com 24,2% dos smartphones; o Android Q (10), 26,5%; e o Android Pie (9), 18,2%. Na comparação, os dados não incluem o mais recente Android 12, lançado em outubro deste ano, provavelmente por ser um registro antigo — ou porque ele tem presença ainda insignificante.

Android 10 é o sistema do Google mais presente atualmente (Imagem: Reprodução/9to5Google)
Android 10 é o sistema do Google mais presente atualmente (Imagem: Reprodução/9to5Google)

O Google alega que o Android 11 foi o sistema operacional que cresceu mais rápido em popularidade até hoje, mas isso não é necessariamente mérito dela. Recai às fabricantes a responsabilidade de manter os dispositivos atualizados, e isso melhorou bastante nos últimos anos em casos como o da Samsung e da Xiaomi.

Vale observar que versões ainda mais antigas do sistema operacional ainda estão em uso. O Android 7 (2016), o Android 6 (2015) e o Android 5 (2014), aparecem no gráfico com, respectivamente, 6,3%, 5,1% e 3,9% de presença no mercado — são fatias que diminuem a cada medição, mas ainda são números relevantes.

Falta de suporte é o principal problema

A persistência de usuários em versões antigas do Android reflete o desinteresse das fabricantes em atualizar os dispositivos, além de, lógico, hábitos de consumo do usuário Android. O Android Oreo, lançado em 2017 está presente em 13,7% dos celulares — e, considerando a data de lançamento, esses dispositivos têm pelo menos quatro anos desde que chegaram ao mercado.

A fragmentação no ecossistema Android é uma questão que o Google tenta contornar sem ferir (demais) a autonomia de cada fabricante de smartphone. Adições de recursos passaram a fazer parte direta do Google Play Services, em vez de ser integrado ao software, e a Play Store passou a ser protegida contra apps maliciosos de forma nativa, assim evitando que o usuário dependa do suporte das próprias fabricantes.

Apple faz melhor

Neste sentido, a Apple faz muito melhor que o Google. Mesmo com recursos a menos do que os modelos de última geração, o iPhone 6S, apresentado ao mundo em 2015, pode instalar o iOS 15 e aproveitar tanto funcionalidades inéditas quanto as implementações em segurança — são seis anos de suporte e atualizações importantes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos