Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    36.042,24
    -423,38 (-1,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Lagartos usam técnica especial para respirar sob a água e fugir de predadores

·3 minuto de leitura
Lagartos usam técnica especial para respirar sob a água e fugir de predadores
Lagartos usam técnica especial para respirar sob a água e fugir de predadores

Pesquisadores especializados em biologia descobriram, meio que sem querer, que os lagartos anolis (popularmente conhecidos como “papa-vento”), graças a uma técnica especial, conseguem respirar debaixo d’água por até 18 minutos e fugir de predadores que os atacam na superfície.

Segundo um estudo assinado pelo biólogo Chris Boccia, da Universidade de Queens, no Canadá, sua equipe percebeu que os lagartos usam de uma técnica cuja melhor tradução é “re-respiração”: basicamente, eles expelem uma bolha de oxigênio antes de mergulhar. Ela, por sua vez, fica presa à pele pelas narinas. Assim, eles repetidas vezes inspiram e expiram essa bolha, ampliando sua permanência debaixo d’água.

Leia também

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo outra bióloga envolvido no estudo – a Dra. Lindsey Swierk, da Universidade de Binghamton – a descoberta foi um golpe de sorte: “encontrar evidências que sugeriam que os anolis semi aquáticos ‘respiram’ debaixo d’água foi algo fortuito, pois não era parte dos planos originais de minha pesquisa. Eu fiquei impressionado e muito confuso sobre a duração de seus mergulhos, o que me despertou a curiosidade para olhar [a situação] mais de perto, com uma câmera subaquática por alguns anos”.

Foi aí que eles descobriram que os lagartos usam a técnica especial e cunharam o termo que você viu mais acima: “Anolis semi aquáticos expelem o ar para uma bolha que afixada em suas peles. Os lagartos, então, inalam de novo esse ar – uma manobra que batizamos de ‘re-respirar’, baseado na tecnologia de mergulho aquático humano”.

Segundo os especialistas, a técnica em si não é uma novidade – alguns insetos usam de bolhas para respirar sob a água -, mas o fato de um lagarto (um réptil vertebrado) conseguir fazer isso é o que chama a atenção: esse tipo de animal é consideravelmente maior que a maioria dos insetos e traz um metabolismo mais acelerado que o normal, além de baixa aderência à pele. Em situações normais, eles requerem muito mais oxigênio para se manterem funcionais – isso, e o gás carbônico liberado na respiração reduz a capacidade dos animais de extrair oxigênio.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“É fácil imaginar a vantagem que esses lagartos pequenos e lentos ganham ao se esconderem de predadores debaixo d’água – eles são muito difíceis de se enxergar”, disse Swierk. “Mas a pergunta real aqui é: como eles conseguem ficar lá embaixo tanto tempo?”

O time analisou o volume de oxigênio das bolhas, confirmando que ele vai diminuindo conforme os minutos vão passando. Isso prova duas coisas: a primeira é a de que os lagartos realmente usam essa técnica especial para respirar. A segunda é que ela não é infinita – eventualmente, o “ar reaproveitado” não servirá e eles precisarão subir.

Em observações posteriores, os cientistas identificaram a técnica em outras cinco espécies semi aquáticas de anolis – não diretamente ligadas entre si. Ao observar uma espécie não aquática, foi percebido que ela trazia apenas capacidades normais de respiração.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos