Mercado fechado

Laboratório Teuto contrata bancos para IPO, dizem fontes

Carolina Mandl
·1 minuto de leitura

Por Carolina Mandl

SÃO PAULO (Reuters) - O laboratório farmacêutico Teuto está se preparando para fazer uma oferta pública inicial de ações até meados do ano que pode movimentar mais de 1 bilhão de reais, disseram duas fontes familiarizadas com o assunto.

O Teuto, que pode se tornar a segunda farmacêutica listada na B3, contratou unidades de banco de investimento do JPMorgan Chase, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil para coordenar a oferta, acrescentaram as fontes.

A farmacêutica disse em comunicado que não comenta especulações de mercado.

O Teuto, no qual a Pfizer já teve uma fatia de 40%, pretende usar os recursos arrecadados para novos investimentos e redução da dívida, acrescentou uma fonte.

Os acionistas controladores da empresa procuraram anteriormente um investidor para comprar uma participação minoritária depois que a Pfizer saiu de seu então altamente endividado empreendimento brasileiro por um pagamento simbólico de 0,30 dólar em 2017.

Em 2019, o Teuto, especializado em medicamentos genéricos e livres de indicação médica, faturou cerca de 1 bilhão de reais e teve lucro líquido de 107 milhões de reais em 2019.

A ação do Teuto ocorre em meio a uma explosão de negócios no fragmentado setor de saúde do Brasil. Em dezembro, a operadora de hospitais Rede D'Or apoiada pelo Carlyle e seus acionistas captaram 11,4 bilhões de reais.

A Hypera, empresa de maior porte do setor farmacêutico nacional, tem uma capitalização de mercado de aproximadamente 20 bilhões de reais.

A Blau Farmacêutica, outra companhia brasileira no setor, também entrou com um pedido de IPO, com o objetivo de levantar dinheiro para expandir suas operações na América Latina.