Mercado abrirá em 1 h 50 min
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,66
    -1,29 (-1,74%)
     
  • OURO

    1.811,10
    -6,10 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    39.514,84
    -2.042,66 (-4,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    963,05
    +13,15 (+1,38%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.096,80
    +64,50 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    15.003,25
    +47,50 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1960
    +0,0080 (+0,13%)
     

Laboratório sul-africano recebe doação de US$ 700 milhões para impulsionar vacinação

·1 minuto de leitura
Vacinação de pessoal de saúde contra a covid em 19 de maio de 2021 em uma casa de repouso perto de Klerksdorp, na África do Sul

Os doadores internacionais prometeram, nesta quarta-feira (30), mais de 700 milhões de dólares à gigante farmacêutica sul-africana Aspen, para retomar a produção de vacinas anticovid no continente, que só vacinou 1% de sua população até agora.

A África, que depende dos sistemas de fornecimento de vacinas da Organização Mundial da Saúde e da União Africana (UA), está muito atrás do resto do mundo nas campanhas de imunização de suas populações.

Apenas pouco mais de 1% da população africana estava totalmente vacinada na semana passada, em meio a uma terceira onda de covid-19 devido às variantes mais contagiosas do vírus.

A Sociedade Financeira Internacional (SFI) do Banco Mundial anunciou hoje "um plano de financiamento a longo prazo" de 711 milhões de dólares para a Aspen "para apoiar o desenvolvimento de vacinas para os países africanos".

Este plano será financiado pela SFI e por instituições de desenvolvimento francesas, alemãs e americanas.

Segundo o diretor-geral da SFI, Makhtar Diop, a vacinação da população será crucial para a recuperação econômica da África depois da pandemia.

"O fato de termos apenas 1% da população africana vacinada agora fará com que a recuperação seja lenta", declarou à AFP. O impacto será grande no turismo e no comércio, afirmou.

sch/sn/es/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos