Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,27
    -1,39 (-1,68%)
     
  • OURO

    1.797,60
    -1,20 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    58.788,50
    -1.922,38 (-3,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.408,25
    -66,08 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.594,25
    -34,49 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    28.799,25
    -298,99 (-1,03%)
     
  • NASDAQ

    15.623,25
    +36,00 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4203
    -0,0044 (-0,07%)
     

Laboratório alemão CureVac abandona projeto inicial de vacina anticovid

·1 minuto de leitura
Sede do laboratório alemão CureVac em Tübingen, Alemanha, em 15 de dezembro de 2020 (AFP/THOMAS KIENZLE)

O laboratório alemão CureVac anunciou nesta terça-feira (12) o encerramento do desenvolvimento de sua primeira vacina anticovid, que inicialmente gerou muitas esperanças, mas cujos resultados acabaram sendo decepcionantes.

CureVac indicou que vai se concentrar agora em outro imunizante mais promissor.

A empresa, especializada em tecnologia de RNA mensageiro, vai "focar no desenvolvimento de uma vacina de segunda geração contra a covid-19", na qual trabalha com a britânica GSK, e por isso vai "retirar" seu atual projeto dos procedimentos de revisão da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Isso também "põe fim" ao pré-acordo de 405 milhões de doses firmado com a União Europeia (UE), informou o laboratório.

"A luta global contra a covid-19 continua e estamos determinados a dar uma contribuição decisiva para ela com uma vacina segura e eficaz", garantiu Franz-Werner Haas, diretor do CureVac, em um comunicado.

Os ensaios clínicos mostraram eficácia de 48% para a vacina do laboratório alemão, um percentual bem menor do que os imunizantes desenvolvidos pela Pfizer/BioNTech e Moderna.

CureVac e GSK querem lançar nos "próximos meses" um estudo clínico sobre a vacina de segunda geração, que leva em consideração as novas variantes do vírus que surgiram, para que possa ser homologada em 2022.

"É importante que o CureVac se concentre na promissora vacina de segunda geração", batizada de CV2CoV, sobre a qual os primeiros estudos mostram uma "melhora clara" em relação à primeiro, comentou Rino Rappuoli, diretor científico da GSK.

ys/mat/clr/bl/mb/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos