Mercado fechará em 5 h 11 min
  • BOVESPA

    98.777,52
    -176,38 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.247,12
    +503,97 (+1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,40
    +1,97 (+1,82%)
     
  • OURO

    1.811,00
    +9,50 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    19.547,96
    +493,98 (+2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    422,93
    +2,79 (+0,66%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.237,54
    +68,89 (+0,96%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.538,50
    -72,75 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5215
    -0,0372 (-0,67%)
     

Líderes financeiros do G7 reafirmam compromisso cambial em comunicado

Participantes de reunião do G7 posam para foto em Koenigswinter, Alemanha

Por Leika Kihara e Francesco Canepa

KOENIGSWINTER, ALEMANHA (Reuters) - Os líderes financeiros do Grupo dos Sete (G7) prometeram nesta sexta-feira monitorar de perto os mercados devido à volatilidade recente e reafirmaram seu compromisso com as taxas de câmbio, acenando para a preocupação do Japão com as recentes quedas acentuadas do iene.

As economias avançadas do G7 têm um acordo de que os mercados devem determinar as taxas de câmbio, de que o grupo coordenará de perto os movimentos cambiais e de que movimentos excessivos e desordenados das taxas de câmbio prejudicariam o crescimento.

Autoridades japonesas disseram que o acordo dá a Tóquio margem de manobra, ou até mesmo para intervir diretamente no mercado de câmbio para combater os movimentos acentuados do iene.

"Também continuaremos monitorando de perto os mercados devido à volatilidade recente. Reafirmamos nossos compromissos cambiais elaborados em maio de 2017", disseram os líderes financeiros do G7 em comunicado divulgado após dois dias de reuniões que terminara nesta sexta-feira.

Já comemorado por dar impulso às exportações, o iene fraco surgiu como uma fonte de preocupação para as autoridades japonesas, uma vez que infla os custos já crescentes das importações de combustíveis e matérias-primas.

O ministro das Finanças japonês, Shunichi Suzuki, disse a repórteres na quinta-feira que Tóquio queria que o G7 reafirmasse seu compromisso com a política cambial, conforme o país luta para conter o declínio do iene para mínimas de duas décadas.

A ampla ascensão do dólar também derrubou o euro, aumentando a pressão inflacionária na região que está sentindo a pressão do aumento dos custos de energia causado pela crise na Ucrânia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos