Mercado fechará em 2 h 50 min
  • BOVESPA

    114.624,53
    -1.043,25 (-0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.320,60
    +169,22 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,59
    +0,37 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.778,60
    -19,30 (-1,07%)
     
  • BTC-USD

    50.451,08
    +548,46 (+1,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.009,60
    +14,93 (+1,50%)
     
  • S&P500

    3.865,66
    -59,77 (-1,52%)
     
  • DOW JONES

    31.626,29
    -335,57 (-1,05%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.977,50
    -324,50 (-2,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7167
    +0,1462 (+2,23%)
     

Líder republicano no Senado dos EUA diz que Trump "provocou” tumulto no Capitólio

·1 minuto de leitura
Líder rapublicano no Senado dos EUA, Mitch McConnell

WASHINGTON (Reuters) - O líder da maioria no Senado dos EUA, o republicano Mitch McConnell, acusou na terça-feira o presidente Donald Trump de provocar os distúrbios de 6 de janeiro no Capitólio.

"A multidão foi alimentada com mentiras. Eles foram provocados pelo presidente e outras pessoas poderosas", disse McConnell em um discurso no plenário do Senado.

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou na quarta-feira passada o impeachment de Trump pela segunda vez. O Senado ainda não agendou um julgamento para determinar a culpa ou a inocência de Trump.

McConnell afirmou na semana passada que ouviria os argumentos apresentados durante o julgamento no Senado antes de decidir como votar sobre o impeachment de Trump por incitar uma insurreição que resultou no ataque ao Capitólio.

O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, que deve se tornar o líder da maioria na Casa nos próximos dias, disse em um discurso no Senado que Trump "é uma ameaça à nossa ordem constitucional, esteja ele no cargo ou fora dele".

O mandato de Trump como presidente termina na quarta-feira, quando o democrata Joe Biden toma posse.

Schumer acrescentou que, se Trump for condenado, o Senado votará para impedi-lo de concorrer novamente à Presidência.

Apoiadores de Trump invadiram o Capitólio em 6 de janeiro, o que atrasou a certificação da vitória eleitoral de Biden por várias horas, forçou os parlamentares a buscarem segurança e resultou na morte de cinco pessoas, incluindo um policial do Capitólio.

(Reportagem de Richard Cowan)