Líder republicano critica plano de Obama para reduzir déficit

Washington, 2 dez (EFE).- O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o republicano John Boehner, disse neste domingo sentir-se "estupefato" após a proposta de redução do déficit da Casa Branca para evitar o chamado "abismo fiscal".

"Estava estupefato. Olhei e disse: não podem estar falando sério. Nunca vi algo semelhante", afirmou Boehner em entrevista ao canal "Fox".

O líder republicano se referia assim ao plano de redução do déficit apresentado na quinta-feira passada no Congresso pelo secretário do Tesouro, Timothy Geithner, encarregado pelo presidente Barack Obama de liderar as negociações com os legisladores.

"Atualmente diria que não estamos em nenhum lugar. Ponto. Não há nenhum acordo", acrescentou Boehner.

Reconheceu, no entanto, que a vitória de Obama nas eleições presidenciais de novembro tinha outorgado algum respaldo a suas propostas, mas criticou a tática da Administração de impor uma solução.

"Ganharam as eleições, mas devem ter esquecido que os republicanos continuam tendo a maioria na Câmara dos Representantes", comentou.

O recente plano de Obama apresentado por Geithner inclui um aumento de US$ 1,6 trilhão de receita por aumentos de impostos durante a próxima década, com um plano de investimentos e estímulo de US$ 50 bilhões e a reforma parcial dos programas de seguridade social.

Os republicanos declararam que qualquer plano que traga consigo o aumento de impostos será rejeitado e se concentraram em exigir um grande corte nos programas de seguridade social.

Se um acordo não for alcançado antes do final do mês de dezembro, entraria em vigor em janeiro uma abrupta combinação de cortes de gasto público e de alta de impostos conhecida como "abismo fiscal", de cerca de US$ 500 bilhões. EFE

Carregando...