Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.017,86
    -0,42 (-0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Líder de Hong Kong diz que restaurar "sistema político do caos" é prioridade

Por Twinnie Siu e Clare Jim
·1 minuto de leitura

Por Twinnie Siu e Clare Jim

HONG KONG (Reuters) - A prioridade do governo de Hong Kong é "restaurar o sistema político do caos", disse a chefe do Executivo Carrie Lam nesta quarta-feira em seu discurso anual de política, que não apresentou medidas para impulsionar a economia ou aliviar uma crise imobiliária.

A longa fala de Lam ao Legislativo da cidade semi-autônoma foi adiado em mais de um mês de forma a acomodar sua viagem a Pequim para conversas sobre como a China pode ajudar na recuperação econômica do centro financeiro.

Mas depois de mencionar brevemente que a cidade vai contribuir para os esforços de integração da área da Grande Baía, uma região que inclui Hong Kong, Macau e nove cidades da província chinesa de Guangdong, ela passou grande parte do seu discurso falando sobre a necessidade de restaurar a ordem e proteger a segurança nacional da China.

O papel do governo central na ex-colônia britânica tem ocupado o centro das atenções, em particular com a imposição em junho de uma lei de segurança após meses de protestos pró-democracia -- os mais intensos em décadas -- no último ano.

"No ano passado, Hong Kong enfrentou os mais severos desafios políticos desde seu retorno à pátria", disse Lam.

"Uma de nossas prioridades urgentes é restaurar ... a ordem constitucional e o sistema político do caos."

Ela acusou governos estrangeiros e legislativos de aumento da interferência nos assuntos de Hong Kong, que segundo ela são assuntos internos da China, e que as ações estavam colocando em risco a segurança nacional.

Lam afirmou que o governo apresentará um projeto de lei para realizar uma ampla educação pública "para melhorar a compreensão do Estado de Direito".