Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.959,76
    +96,21 (+0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Líder da máfia calabresa é detido em Madri

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Viatura da polícia espanhola no centro de Madri

A polícia espanhola anunciou nesta quinta-feira (5) a detenção de um dos principais líderes da máfia da Calábria, Domenico Paviglianiti, "um dos foragidos mais procurados da Itália".

Paviglianiti foi detido na zona de Cuatro Caminos, de Madri, em 2 de agosto, em uma operação conjunta com a polícia italiana.

"O detido, considerado um dos foragidos mais procurados da Itália, foi localizado com documentação portuguesa falsa, seis telefones celulares e quase 6.000 euros em notas de 200 euros", afirma um comunicado divulgado pela força de segurança da Espanha.

Paviglianiti é acusado do assassinato de um homem, crime pelo qual foi condenado a 16 anos de prisão na Itália. O condenado ainda precisa cumprir 11 anos e oito meses da pena.

Em 2019, foi solto na Itália por uma tecnicalidade jurídica e, mais tarde, mudou-se para a Espanha.

A polícia detectou parte da família do detido em Barcelona, onde ele passou alguns meses refugiado, antes de seguir para Madri. Estabeleceu residência ma capital espanhola até ser localizado e detido.

Paviglianiti ajudou a controlar as operações da máfia no norte da Itália e na América do Sul.

Chamado de "chefe dos chefes" pela imprensa italiana por seu papel nos crimes cometidos nas décadas de 1980 e 1990, incluindo assassinato e tráfico de drogas, Paviglianiti passou mais de 20 anos na prisão antes de sua libertação em 2019.

Teve "papel de destaque durante a chamada segunda guerra da máfia, quando outras famílias da 'Ndrangheta na província de Reggio Calabria apoiaram o clã De Stefano na violenta disputa com o clã dos Condello", informaram os investigadores italianos.

Em sua longa relação com a Justiça, Paviglianiti já havia sido detido em 1996 na Espanha e extraditado três anos mais tarde para a Itália.

al/mg/mar/fp/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos