Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.608,76
    -345,14 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.036,38
    +293,23 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,34
    +1,91 (+1,76%)
     
  • OURO

    1.808,40
    +6,90 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    20.298,80
    +1.020,79 (+5,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    440,70
    +20,56 (+4,89%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.232,65
    +64,00 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.517,37
    +363,56 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    11.703,50
    +92,25 (+0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5471
    -0,0069 (-0,12%)
     

Líder birmanesa Aung San Suu Kyi é transferida para penitenciária e colocada em isolamento

Aung San Suu Kyi, a líder destituída de Mianmar que estava em prisão domiciliar desde 2021, foi transferida para um complexo penitenciário da capital do país Naipyidaw, onde foi colocada em isolamento, anunciou a junta militar que governa o país.

"De acordo com as leis criminais... (Aung San Suu Kyi) foi mantida em confinamento solitário na prisão desde quarta-feira", afirmou Zaw Min Tun, porta-voz da junta, em um comunicado.

Desde que foi derrubada em um golpe de Estado no ano passado, Suu Kyi estava em prisão domiciliar em um local secreto de Naypyidaw, acompanhada por várias pessoas que trabalham em sua casa e seu cachorro, de acordo com várias fontes.

A vencedora do prêmio Nobel da Paz, de 77 anos, deixou o local apenas para comparecer às audiências de seu julgamento em um tribunal da junta que poderia condená-la a mais de 150 anos de prisão.

Os advogados de defesa não podem falar com a imprensa e os jornalistas não estão autorizados a acompanhar o julgamento.

Sob o regime da junta militar anterior, a líder birmanesa passou vários anos em prisão domiciliar na residência de sua família em Yangon, a cidade mais importante do país.

Desde que foi derrubada em fevereiro de 2021, suas relações com o mundo exterior se limitam a breves encontros com os advogados antes das audiências.

Nos últimos meses, Suu Kyi foi condenada a 11 anos de prisão depois de ser declarada culpada de corrupção, incitação à violência e violação das regras sanitárias decretadas devido à pandemia de coronavírus, além de ser considerada culpada de não respeitar a lei de telecomunicações.

bur-rma/pc-bl/mis/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos