Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.499,75
    -2.741,92 (-5,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,99 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7636
    +0,0247 (+0,37%)
     

Konami nega fechamento de estúdios de produção de jogos; entenda

Felipe Demartini
·2 minuto de leitura

Um grande mal-entendido levou muitos jogadores a lamentarem, nesta terça-feira (26), um suposto fechamento dos estúdios de desenvolvimento de jogos da KONAMI. A ideia de que a esperança de retorno de grandes franquias como Silent Hill, Castlevania e Metal Gear Solid, que já era baixa, poderia ter se tornado muito menor se o movimento anunciado pela empresa japonesa não representasse exatamente o contrário. Ela passa, agora, por uma reestruturação que deve agilizar o processo de produção de jogos.

O caso começou com a descoberta de um informe ao mercado, publicado pela Konami em 15 de janeiro, no qual a companhia anunciada a dissolução de suas três divisões de produção de jogos. Na notícia, a Konami falava na reestruturação como uma forma de responder mais rapidamente ao mercado — um que, como todos sabemos, não tem aceitado muito bem o posicionamento da companhia enquanto se alimenta de rumores e recebe títulos aquém do esperado, como Contra Rogue Corps e Metal Gear Survive, mais recentes exemplares de duas franquias clássicas do mercado.

A comoção fez com que a Konami se posicionasse nesta terça-feira (26) para afirmar que, não, o desenvolvimento de seus jogos não está sendo encerrado, pelo contrário — a ideia da reorganização é, justamente, desburocratizar o processo e dar mais agilidade aos times de produção. Se antes os estúdios estavam sujeitos ao comando das divisões, agora, todos se reportam diretamente à gerência da companhia, de onde vem a citada resposta mais rápida aos interesses do mercado.

A empresa japonesa não deu muitos detalhes sobre o assunto, mas confirmou que demissões não aconteceram em seus departamentos de produção de jogos, enquanto os executivos que lideravam as divisões dissolvidas foram reposicionados nos próprios estúdios ou em outros segmentos da companhia. A Konami usa a palavra “consolidação” para falar sobre o assunto, mudando o tom em relação à comunicação original.

O que começou como uma má notícia, então, pode terminar com uma nota positiva. Apesar disso, e com a exceção de um novo lançamento da franquia PES, não existem informações oficiais sobre um novo Silent Hill, Metal Gear Solid ou Castlevania, enquanto os jogadores seguem se alimentando de rumores e, também, de esperança de ver os personagens consagrados de volta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: