Mercado fechado

Klabin espera recuperação de mercado de celulose a partir do 2º semestre de 2020, diz Credit Suisse

SÃO PAULO (Reuters) - A Klabin espera uma recuperação mais consistente do mercado global de celulose a partir do segundo semestre do próximo ano, quando os níveis de estoques excedentes da matéria-prima do papel estiverem normalizados, afirmou analista do Credit Suisse em relatório após reunião da empresa com investidores nesta sexta-feira.

"A companhia acredita que o mercado deve começar a se recuperar no segundo trimestre de 2020, com aumentos de preços, mas apenas no segundo semestre é que um nível de estoques mais normalizado deverá permitir uma recuperação mais material", escreveu o analista Caio Ribeiro.

Segundo ele, a companhia demonstrou otimismo sobre a indústria de kraftliner no médio e longo prazos, que deve vivenciar uma demanda saudável enquanto o projeto Puma 2, que amplia a capacidade de produção de papel da empresa, deverá entregar o menor custo-caixa do mundo

O analista citou ainda que a Klabin mencionou na reunião com investidores que a economia brasileira começa a mostrar sólidos sinais de recuperação uma vez que as vendas de papelão ondulado e sacos industriais estiveram em níveis recordes nos últimos 45 dias.

No final de outubro, na divulgação de resultados de terceiro trimestre, executivos da Klabin afirmaram que um movimento de alta de preços em fibra curta poderá ocorrer apenas depois do Ano Novo Chinês, em janeiro do próximo ano. Na ocasião, os executivos mencionaram que para 2020, a expectativa da Klabin é de um crescimento melhor nos mercados de papelão ondulado e sacos industriais no Brasil, mais em linha com a expansão da economia.

As units da Klabin mostravam queda de 0,2% às 17h, enquanto o Ibovespa tinha ganho de 0,8%. Mais cedo, os papéis chegaram a subir mais de 3%.


(Por Alberto Alerigi Jr., com reportagem adicional de Paula Arend Laier)