KFC na China comprou frango com excesso de antibióticos, diz autoridades

Xangai (China), 21 dez (EFE).- A empresa americana de fast-food Kentucky Fried Chicken (KFC) comprou carne de frango com excessivos níveis de antibióticos e, apesar de conhecer o problema, seguiu adquirindo esse mesmo produto durante dois anos, informou a Administração Municipal de Supervisão de Alimentos e Remédios de Xangai.

Segundo o jornal oficial "Shanghai Daily" desta sexta-feira, a cadeia de restaurantes da multinacional americana Yum! sabia que os frangos comprados do grupo Liuhe, da província de Shandong, tinham esse problema desde 2010. No entanto, o KFC não apresentou nenhuma denuncia e nem mudou de fornecedor.

Consultada pela Agência Efe, uma funcionária do departamento de relações públicas da filial da Yum! Brands na China afirmou que a companhia não pode fazer nenhum comentário sobre o caso neste momento, mas, em breve, deverá se pronunciar para tranquilizar seus clientes.

Pouco antes da confirmação por parte das autoridades chinesas, a Yum! China emitiu um comunicado exaltando sua preocupação pelo assunto e indicou que iniciaria uma investigação própria para apurar o ocorrido.

Duas fazendas das empresas Yingtai e Liuhe, que também fornecem ao McDonald's na China, foram fechadas nesta semana em Shandong por causa do uso de produtos químicos e antibióticos nos frangos produzidos. Neste caso, a ideia é aumentar o tamanho e o tempo de vida das aves para torná-las mais rentáveis.

Segundo o diário oficial, o KFC contratava os serviços de uma entidade do próprio governo de Xangai, o Instituto para Controle dos Alimentos e dos Remédios de Xangai, que receberá, junto com a cadeia americana, "o mais rígido dos castigos" se essa quebra de segurança alimentar for confirmada.

A Yum! contratou os serviços do instituto de Xangai em agosto de 2005 como organismo de inspeção independente obrigatória, o qual tinha função de examinar a qualidade das matérias-primas de seus diferentes provedores para a elaboração de suas receitas.

A cadeia enviava mostras à entidade oficial a cada dois meses e pagava uma considerável quantia por este serviço, informou a televisão local "STV", que revelou o escândalo.

De acordo com a emissora, o instituto detectou níveis excessivos de antibióticos em oito das 19 amostras examinadas entre 2010 e 2011, sendo que em todos os casos a carne era pertencente ao grupo Liuhe, que, por sua vez, comprava frangos de várias fazendas de Shandong. Nesta avaliação, o instituto apontou que o fornecedor utilizava até 18 tipos de antibióticos para acelerar o crescimento das aves.

Apesar de estarem cientes do problema, o instituto oficial de Xangai e o KFC não informaram o governo local. Aliás, o KFC continuou comprando frangos do grupo Liuhe até o último mês de agosto, quando deixou de comprar não por problemas de segurança alimentar, mas por um "ajuste de despesas estratégicas", como citou a televisão chinesa.

As autoridades alimentícias de Xangai averiguam agora 32 amostras de oito tipos de carne de frango obtidas do centro de logística da Yum! na China, o qual também abastece a cadeia de pizzarias Pizza Hut.

O KFC chegou a afirmar à imprensa local que havia detectado esses problemas em 2010 e, por isso, deixou de comprar carnes do grupo Liuhe já no ano seguinte. No entanto, os jornalistas chineses descobriram que o KFC comprou mais de 30 mil quilos de asas de frango da mesma empresa em maio deste ano. EFE

Carregando...