Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.337,76
    -69,61 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Ketleyn cita 'lembranças maravilhosas' de Tóquio e não descarta ir a Paris-2024 aos 36 anos

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 25-06-2011 -  A judoca brasileira Ketleyn Quadros. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 25-06-2011 - A judoca brasileira Ketleyn Quadros. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sem tristeza ou amargura na voz, Ketleyn Quadros disse só levar "lembranças maravilhosas" das Olimpíadas de Tóquio. Na manhã desta terça-feira (27), ela perdeu para a holandesa Juul Frannsen na repescagem da categoria até 63 kg do judô.

"Depois de 13 anos, estar de volta aos Jogos, melhor até do que estava em 2008... Só tenho a agradecer a Deus pelo reconhecimento de uma vida dedicada ao esporte", disse a judoca, se referindo a sua primeira participação, em Pequim.

Ketleyn foi escolhida para ser a porta-bandeira da delegação brasileira na cerimônia de abertura no Japão (ao lado do levantador Bruninho, do vôlei) e chegou a mostrar ser possível conquistar uma medalha no Nippon Budokan.

Ela sequer precisou pisar no tatame na primeira rodada porque sua adversária, a hondurenha Cergia David não conseguiu ficar dentro do peso na categoria. A brasileira venceu por WO. Na segunda luta, derrotou por ippon Gankhaich Bold, da Mongólia.

Uma vitória no combate seguinte a colocaria na semifinal, mas Ketleyn perdeu para a canadense Catherine Beauchemin-Pinard, o que a levou à repescagem e a chance de chegar ao bronze. Mas a queda diante da holandesa acabou com seu sonho.

"Não dá para avaliar o que faltou. Dá para avaliar uma jornada gigantesca, com muitas conquistas e tenho muito orgulho dessa caminhada. Dei meu máximo, mas meu máximo não foi o suficiente", explicou.

Ela deixou aberta a possibilidade de buscar vaga para Paris-2024, quando estará com 36 anos.

"Quem disse que não? Uma coisa que não vou fazer é judô por hobby".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos