Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    -0,06 (-0,09%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -6,30 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    48.218,26
    -493,99 (-1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    967,30
    -27,36 (-2,75%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.788,00
    -514,00 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7389
    +0,1684 (+2,56%)
     

Keppel faz menor oferta para construção de plataforma de Búzios da Petrobras, dizem fontes

Marta Nogueira e Sabrina Valle
·1 minuto de leitura
Funcionários na plataforma P-50, da Petrobras, na Bacia de Campos

Por Marta Nogueira e Sabrina Valle

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um consórcio liderado pela Keppel, de Cingapura, ofereceu o menor valor em licitação da Petrobras para a construção da plataforma P-78, no importante campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, afirmaram à Reuters três fontes próximas à licitação.

O valor apresentado pela empresa para a construção da plataforma foi de 12,52 bilhões de reais, segundo as pessoas, que falaram na condição de anonimato.

Também na licitação, um consórcio liderado pela sul-coreana Daewoo ofertou aproximadamente 14 bilhões de reais, enquanto outro liderado pela também sul-coreana Samsung ofereceu cerca de 15 bilhões de reais.

Uma cláusula da concorrência prevê que a vencedora da P-78 poderá vencer também a oferta pela P-79 com um desconto pré-definido, de cerca de 8%, explicaram duas das fontes, que não souberam dizer imediatamente se essa opção seria exercida e como ela ocorreria.

Petrobras, Keppel, Daewoo e Samsung não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

Foi a primeira licitação para a contratação de plataformas próprias pela Petrobras em mais de sete anos.

A Petrobras informou na véspera que recebeu das três empresas propostas comerciais, sem falar em valores.

Também na terça-feira, a petroleira explicou que as propostas estavam em fase de julgamento pela Comissão de licitação. Em seguida, seria iniciado processo de negociação de condições mais vantajosas à Petrobras, como previsto no Regulamento de Licitações e Contratos da Petrobras.

A previsão é de que as propostas finais para construção das duas unidades sejam aprovadas no primeiro semestre de 2021.

O início da operação das plataformas está previsto para 2025, com capacidade para processar diariamente 180 mil barris de óleo e 7,2 milhões de m3 de gás, cada uma.