Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.950,11
    -273,81 (-0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Kaplan, do Fed adverte sobre 'desequilíbrios' e quer falar sobre redução de estímulos

Ann Saphir
·1 minuto de leitura
Presidente do Federal Reserve de Dallas, Robert Kaplan

Por Ann Saphir

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Dallas, Robert Kaplan, pediu nesta sexta-feira pelo início da conversa sobre a redução do apoio do banco central dos Estados Unidos à economia, alertando sobre desequilíbrios nos mercados financeiros e argumentando que a economia está se curando mais rápido do que o esperado.

"Estamos agora em um ponto em que estou observando excessos e desequilíbrios nos mercados financeiros", disse Kaplan à Câmara de Comércio da área de Montgomery em um evento virtual, apontando para os preços "historicamente" elevados das ações, spreads de crédito apertados e a alta dos valores das moradias.

"Acho que, na primeira oportunidade, seria apropriado começarmos a falar sobre o ajuste dessas compras", referindo-se aos 120 bilhões de dólares em compras mensais de títulos do Fed que, juntamente com os juros próximas a zero, visam manter as condições financeiras flexíveis e estimular a recuperação.

O chair do Fed, Jerome Powell, reiterou esta semana sua opinião de que é muito cedo para falar sobre a potencial redução do ritmo de compra de títulos do Fed, dizendo que a economia, embora esteja crescendo rapidamente, está longe das metas de pleno emprego do Fed e 2% de inflação.

Kaplan, nesta sexta-feira, apresentou uma visão diferente. Ele reiterou sua expectativa de que o Fed precisará começar a aumentar os juros no próximo ano, mais de um ano antes do que a previsão da maioria de seus colegas do Fed.