Mercado abrirá em 4 h 44 min

Kanye West defende apoio a Trump em almoço com presidente dos EUA

Por Steve Holland e Doina Chiacu
Rapper Kanye West com Trump no Salão Oval 11/10/2018 REUTERS/Kevin Lamarque

Por Steve Holland e Doina Chiacu

WASHINGTON (Reuters) - O rapper Kanye West, com um discurso de consciência e uma explosão de palavrões no Salão Oval, defendeu nesta quinta-feira seu apoio ao presidente Donald Trump, para deleite do próprio Trump.

O evento foi anunciado como um almoço na Casa Branca para discutir reforma prisional, empregos para afro-americanos e violência em Chicago. Estes tópicos foram debatidos em um encontro antes do almoço, mas Kanye começou um discurso e Trump o deixou seguir em frente conforme as câmeras gravavam tudo.

    Mas no meio disso, Kanye falou sobre universos alternativos, um novo avião que Trump deveria considerar como seu próximo Air Force One, seu diagnóstico de transtorno bipolar que disse ser na verdade privação de sono e sua vida em uma casa dominada por mulheres, dado seu casamento com a estrela de reality show Kim Kardashian West.

Kanye disse posteriormente que seu discurso de 10 minutos foi “todo de alma, eu só canalizei isto”. Trump aceitou tudo.

    “Isto foi bem interessante”, disse Trump, acompanhado no Salão Oval por Jim Brown, ex-jogador de futebol americano e membro do Hall da Fama que sorriu e sentou em silêncio por grande parte do evento.

    Kanye foi à Casa Branca claramente com muitas coisas em sua cabeça, principalmente seu apoio ao presidente.

    “Eu tive culhão de colocar este boné”, disse o artista de 41 anos, defendendo o boné vermelho escrito “Make America Great Again” que usou para seu encontro.

    Esta foi a primeira de diversas declarações indelicadas que Kanye fez no Salão Oval, incluindo a frase: “Ele provavelmente não esperava que um filho da puta louco como Kanye West corresse e apoiasse”.