Mercado abrirá em 9 h 33 min

Kaká será "reforço" do São Paulo em 2021

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Kaká não escondia a vontade de virar um executivo de futebol (Getty Images)
Kaká não escondia a vontade de virar um executivo de futebol (Getty Images)

O anúncio só será feito nos próximos dias, mas já é possível afirmar que Kaká trabalhará no São Paulo em 2021. O ex-jogador fará parte de um Grupo de Inteligência do Futebol, que será criado para ajudar o presidente Julio Casares nas grandes decisões.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Além de dar pitacos, Kaká também poderá atuar na busca por parcerias especialmente no exterior, aproveitando-se de seu moral em alguns dos principais clubes do mundo. Em contato com o Blog, Casares assegurou que Kaká não será remunerado.

Leia também:

Último brasileiro a conseguir ser eleito o melhor do mundo, em 2007, o craque está decidido a iniciar a carreira de gestor de futebol e pediu uma oportunidade no clube onde foi formado.

A oficialização da “contratação” de Kaká pode ficar para a virada do ano. Antes, Casares precisa resolver algumas pendências ligadas ao departamento de futebol.

Diretor-executivo de futebol, Raí foi convidado a ficar até o fim de fevereiro - na sequência, se aceitar o convite, ele tiraria férias e voltaria para atuar como um embaixador tricolor pelo mundo. A resposta de Raí será conhecida ao longo desta sexta-feira.

Como o Blog já revelou dias atrás, Alexandre Pássaro e Diego Lugano não ficarão. O gerente de futebol e o diretor de relações internacionais permanecem somente até 31 de dezembro. Muricy Ramalho já foi confirmado pelo próprio Casares como o primeiro reforço para 2021, como coordenador de futebol. Já o executivo deverá ser Rodrigo Caetano, que se despede do Inter no dia 31.

Vendendo a base: O São Paulo apresentou na noite desta quinta-feira o orçamento de 2021 para os conselheiros e o que mais chamou atenção foi a necessidade de arrecadar R$ 176 milhões com a transferência de atletas.

Nunca, na história, o Tricolor estimou um valor tão alto. Em 2019, por exemplo, a meta era R$ 122 milhões. Já neste ano, R$ 137 milhões.

Para alcançar os R$ 176 milhões, o São Paulo certamente precisará vender pelo menos duas ou três joias do clube. Vale a lembrança que a transferência de Antony para o Ajax e o repasse de 20% de David Neres que ainda pertenciam ao Tricolor, também para o clube holandês, renderam R$ 106 milhões.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos