Mercado fechado

Justiça vai ouvir mais testemunhas contra Harvey Weinstein em casos de assédio

Wagner Wakka

O caso Harvey Weinstein vai ouvir mais pessoas fora de Nova Iorque. Isso é o que afirmou a advogada Gloria Allred em um programa de TV chamado The View. Ela representa Lauren Young, modelo que denunciou o produtor em 2013 de tê-la assediado em um hotel de Bervely Hills.

Após as denúncias dela, outras várias mulheres também disseram ter passado pelo mesmo com Weinstein. “Vamos ver mais mulher testemunhando no caso de L.A.”, disse Allred, referindo-se às denúncias contra o produtor. “Acredito que Weinstein seja um problema no mundo e que não vai terminar tão cedo”, completou.

Em 6 de janeiro de 2020, o produtor magnata de Hollywood foi acusado em Los Angeles por quatro crimes de estupro a assédio sexual tanto por Young, quanto por outra atriz italiana, cujo nome foi preservado.

Weinstein foi condenado por estupro no último dia 24 de fevereiro, em julgamento em Nova Iorque. A decisão do júri misto foi unânime, contudo ainda não foi decidida a sentença para o caso, o que deve acontecer somente em audiência no dia 11 de março de 2020.

Somente após isso, Weinstein será extraditado para o outro lado do país, onde será novamente julgado e deve receber penas maiores. Em uma coletiva de imprensa na prefeitura de Los Angeles, um grupo de mulheres supostas vítimas do produtor pediu para ser chamado.

Em 2015, uma das acusadoras, Ambra Battilana Gutierrez, chegou a participar de uma operação da polícia de Nova Iorque em que gravou secretamente Weinstein assumindo que a teria assediado sexualmente. Contudo, a justiça local não levou o caso adiante sob o pretexto de que a gravação não tinha uma evidência tão forte para abrir o caso publicamente.

Ela acusa Weinstein de ter pego em seus seios e forçado suas mãos para dentro das calças dele. Ela gravou a conversa que teve no outro dia em que ele pediu desculpas e disse que não faria de novo, assumindo o crime.

Depois disso, Weinstein começou a dar entrevistas a jornais negando o ocorrido, fato que a modelo disse ter feito de sua vida um pesadelo.

Só agora é que Gutierrez também pode ser chamada para depor e ser ouvida oficialmente em um julgamento contra o produtor. “Haverá uma audiência em Los Angeles e eu serei uma das testemunhas”, disse à Fox.

A audiência em Los Angeles será marcada somente após a os trâmites em Nova Iorque chegarem ao fim em março.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: