Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.482,32
    +216,10 (+1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Justiça de SP decreta falência da dona da Ricardo Eletro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Máquina de Vendas, empresa que controla a rede de lojas Ricardo Eletro, teve a falência decretada pela Justiça de São Paulo na quarta-feira (8). Há anos a companhia enfrenta dificuldades financeiras em meio ao aumento da recessão econômica do Brasil.

A Máquina de Vendas, dona das marcas Ricardo Eletro e Insinuante, é atualmente controlada pela MV Participações, que, por sua vez, é controlada por um fundo de investimento em participações (FIP). A empresa está em reestruturação financeira desde 2018, quando acumulava dívidas de R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o Estadão, a empresa hoje é um site de e-commerce com poucos produtos no portfólio e faturamento próximo de zero. A rde já chegou a ter 1,2 mil lojas e a faturar R$ 9,5 bilhões, rivalizando com gigantes como Casas Bahia, Ponto e Magazine Luiza.

Site da rede de lojas Ricardo Eletro (Imagem: Reprodução/Ricardo Eletro)
Site da rede de lojas Ricardo Eletro (Imagem: Reprodução/Ricardo Eletro)

A dívida da Ricardo Eletro segue bilionária; os bancos Bradesco e Santander estão entre as credoras e concentram cerca de R$ 2 bilhões em títulos (debêntures). Ainda assim, segundo o atual presidente e controlador da empresa, Pedro Bianchi, a decisão foi uma "surpresa muito grande". Ele afirma que nenhum dos 17 mil credores pediu a falência da empresa, que espera retomar as operações nas próximas semanas.

A decisão do juiz Leonardo Fernandes dos Santos, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central da Comarca de São Paulo, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), considerou esvaziamento patrimonial da companhia para justificar a decisão.

O empresário da Máquina de Vendas disse que entrou com uma liminar contra a decisão e espera que ela seja aceita até esta sexta-feira (10). Ele ainda declara que a operação online da Ricardo Eletro voltou a vender cerca de R$ 30 mil por dia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos