Mercado fechado

Justiça proíbe atos simultâneos pró e contra governo em SP

Valor

Decisão cita risco de confrontos e prejuízos O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu, na noite desta sexta-feira, proibir que grupos pró e contra o presidente Jair Bolsonaro de se manifestarem na mesma data, na Avenida Paulista, e assim evitar "confrontos e prejuízos" decorrentes do encontro. Os dois grupos planejavam atos no próximo domingo.

"Impeço que os grupos manifestantes manifestamente antagônicos entre si se reúnam no mesmo local e data Avenida Paulista, capital, no próximo dia 07 de Junho, evitando-se assim confrontos e prejuízos decorrentes desta realidade, zelando as autoridades administrativas competentes para que tal empreitada possa ter seu efetivo sucesso", diz trecho da decisão.

Atos estavam marcados para o próximo domingo, com apoiadores do governo Bolsonaro se manifestando na parte da manhã e opositores e críticos ao presidente planejando protestar no início da tarde.

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro pediu que manifestantes favoráveis ao governo não compareçam a protestos nos próximos dias para que as forças de segurança façam seu trabalho para evitar que “marginais extrapolem os limites da lei”.

Em São Paulo, movimentos populares e estudantes pretendiam se manifestar domingo, na avenida Paulista. A frente Povo Sem Medo, que reúne movimentos como o MTST, secundaristas e torcedores de diferentes times, deveriam ir às ruas contra o governo. Organizadores pediram que os manifestantes evitassem confronto com bolsonaristas.