Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,82
    +0,62 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.763,00
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    16.477,06
    +316,89 (+1,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    389,99
    +1,26 (+0,32%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    27.857,22
    -170,62 (-0,61%)
     
  • NASDAQ

    11.511,75
    -13,00 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4607
    +0,0041 (+0,08%)
     

Justiça manda bloquear bitcoins de brasileiro com sobrenome “Satoshi”

Imagem de Dorian Nakamoto, que foi suspeito de ser Satoshi
Imagem de Dorian Nakamoto, que foi suspeito de ser Satoshi

A justiça brasileira está procurando bitcoins de um paulista que tem o sobrenome de “Satoshi”. Várias corretoras de criptomoedas foram intimadas a apresentar qualquer valor depositado em nome do brasileiro com o mesmo sobrenome do criador do bitcoin.

O curioso caso vai além da simples coincidência do nome, visto que o “satoshi brasileiro” demorou a ser encontrado pelo judiciário para responder no processo.

O criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, nunca teve sua identidade revelada mesmo após 14 anos, além de suas posses em bitcoin estarem paradas desde que ele criou a rede.

Paulista de sobrenome “Satoshi” tem bitcoins procurados em corretoras

Em um processo que corre na justiça desde 2018, um paulista de sobrenome “Satoshi” recebeu um revés judicial nos últimos dias, quando uma juíza definiu que todos os seus bitcoins devem ser penhorados.

A penhora deve ser realizada por quatro corretoras brasileiras de criptomoedas, que foram oficiadas publicamente a realizar o bloqueio de bens do devedor, até o valor de R$ 17.763,67.

A decisão da juíza ocorreu após “Satoshi” não ter mais bens encontrados para penhora em uma dívida contraída. Ele chegou a ter o imóvel de sua família bloqueado, mas a juíza reverteu a decisão recentemente a pedido do devedor.

Brasileiro com sobrenome Satoshi tem criptomoedas em corretoras procuradas pela justiça
Brasileiro com sobrenome Satoshi tem criptomoedas em corretoras procuradas pela justiça

Não está claro se o “satoshi” brasileiro tem de fato qualquer valor em bitcoin, mas caso ele tenha inspiração no criador do bitcoin, dificilmente suas posses serão encontradas em corretoras.

As corretoras brasileiras têm 10 dias para informar para justiça se ele tem qualquer bitcoin, visto que não foram encontrados outros bens em seu nome.

Criador do bitcoin nunca foi encontrado

Esquecendo um pouco o curioso processo que tramita na justiça paulista, o fato de o criador do bitcoin nunca ter sido encontrado, mesmo após mais de 10 anos, é tratado com naturalidade pela comunidade mundial.

Isso porque, como o bitcoin é uma moeda digital que não tem um dono e nem pessoas com interesses pessoais em sua atualização, o desaparecimento de Satoshi Nakamoto ajuda a narrativa de que o bitcoin é a única moeda descentralizada já criada.

Quanto rumores de que o criador do bitcoin havia sido encontrado, a justiça chegou a ir a até a casa de um norte-americano chamado Dorian Nakamoto, que logo negou qualquer vínculo com a moeda digital, inclusive desconhecendo a tecnologia.

Apesar de ser bom que Satoshi Nakamoto tenha desaparecido no mundo, ainda há quem procure por rastros em busca do criador da criptomoeda, assim como existem pessoas que fingem ser Nakamoto.

Fonte: Livecoins

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.