Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.632,92
    -168,29 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.134,93
    -60,50 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,10
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.806,50
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    40.913,48
    +993,52 (+2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.005,54
    +29,64 (+3,04%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.064,25
    +271,58 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.171,75
    +98,25 (+0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2082
    +0,0899 (+1,47%)
     

Justiça determina retorno do miliciano Orlando Curicica para presídio no Rio

·1 minuto de leitura

O juiz Walter Nunes da Silva Júnior, da Justiça Federal do Rio Grande do Norte, determinou o retorno do miliciano Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, para o Rio de Janeiro. O ex-policial militar está desde junho de 2018 no presídio federal federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Orlando foi transferido para a unidade de segurança máxima quando surgiram suspeitas de seu envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, hipótese já descartada pelos investigadores. O paramilitar foi acusado de chefiar a milícia de Curicica, na Zona Oeste do Rio.

PEDIDO DE LIBERDADE:

A decisão determinando retorno de Orlando é do último dia 2, mas ainda não há previsão para que a transferência seja feita pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). De acordo com o juiz Walter Nunes, corregedor da penitenciária de Mossoró, após término do prazo de permanência do miliciano na unidade federal, não houve pedido da Justiça do Rio para que houvesse renovação de sua permanência.

Ainda segundo o magistrado, tanto a Justiça do Rio quanto a subsecretaria de Inteligência da Polícia Civil do estado foram informados sobre o término do prazo da permanência de Orlando, sem que fosse feito pedido para sua permanência em presídio federal.

Orlando Curicica chegou a ser apontado por um antigo aliado, o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, o Ferreirinha, como um dos mentores do assassinato de Marielle e Anderson. No entanto, as investigações da Polícia Federal revelaram que a versão de Ferreirinha teve o objetivo apenas de atrapalhar a apuração do caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos