Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.068,78
    -197,52 (-1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Juro negativo pode ser nova arma russa para combater dólar, euro

(Bloomberg) -- Juros negativos sobre depósitos estão saindo de moda em um momento de disparada de inflação em todo o mundo, mas o banco central da Rússia disse que cobrar de clientes corporativos para manter seus dólares e euros pode ajudar a livrar o país de moedas estrangeiras.

Em seu relatório de estabilidade financeira publicado na terça-feira, o Banco da Rússia levantou a opção de introduzir as mudanças legais necessárias para possibilitar taxas negativas sobre depósitos em dólares e euros. O objetivo, disse, é acelerar o declínio da participação de moedas estrangeiras no setor bancário russo.

O debate surge depois que sanções sem precedentes ao banco central da Rússia pela invasão da Ucrânia o privaram de acesso a cerca de metade de seus ativos. O país também tenta evitar um possível calote da dívida soberana após o Tesouro dos EUA permitir que uma brecha nas sanções expirasse este mês, impedindo bancos e indivíduos americanos de aceitar pagamentos de títulos do governo russo.

Muito antes de iniciar a guerra no final de fevereiro, o presidente Vladimir Putin argumentou repetidamente que a Rússia precisa cortar a dependência do dólar como moeda de reserva global, um esforço que deu resultado.

Mesmo assim, as moedas fortes mantêm uma presença considerável nos balanços dos bancos russos.

A proporção de moedas estrangeiras nos passivos dos bancos estava em 24% em 1º de maio, uma queda de 1,2 ponto percentual desde fevereiro, disse a instituição. Quanto a ativos, aumentou efetivamente 3 pontos percentuais para 24% e representava cerca de 16% das carteiras de crédito dos bancos.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos