Mercado abrirá em 5 h 4 min
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,54
    +1,05 (+1,49%)
     
  • OURO

    1.779,30
    +1,10 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    42.669,81
    -488,65 (-1,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.062,92
    -0,93 (-0,09%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.046,32
    +65,34 (+0,94%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.067,75
    +43,75 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1771
    -0,0020 (-0,03%)
     

Rafael Silva, o 'Baby': de criança tímida a judoca que chama atenção do mundo todo em Tóquio

·2 minuto de leitura


Sendo o primeiro judoca brasileiro a ganhar uma medalha na categoria acima de 100 kg em Jogos Olímpicos, Rafael Silva, mais conhecido como "Baby" vive a expectativa pela estreia no judô em Tóquio na noite de quinta-feira (29). Seu oponente para as oitavas de final ainda não foi definido.

GIGANTE NO JUDÔ, TÍMIDO FORA DO TATAME
Assim como o possível desafiante na semifinal, Teddy Riner, o brasileiro também tem um tipo físico que destoa dos demais judocas. Com um pouco mais de dois metros de altura e pesando 160kg, ele costumava ter vergonha em ser o mais alto entre os colegas na infância:

- Eu já aparecia muito, o tempo todo, porque sempre fui grande. Então, me tornei uma criança muito tímida e retraída. De algum modo, eu queria que não me vissem. - relembrou o atleta em entrevista para o Uol.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Mas depois de conseguir ganhar várias disputas no judô, o brasileiro passou a melhorar sua autoestima e reconhecer o potencial do seu próprio corpo:

- Ser campeão melhorou muito a minha relação com o meu corpo. Ter bons resultados fez com que eu tivesse confiança para lutar e, então, essa relação começou a refletir na minha autoestima, na forma como vejo meu corpo. Sei que ser grande me traz vantagens competitivas, e isso me faz bem.

HISTÓRICO DE PESO
Natural do Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o judoca de 34 anos também atua como terceiro sargento no Exército Brasileiro. Mas no tatame suas armas são os braços, que usou para levar o bronze nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

Além de também ter conquistado a prata nos Jogos Pan-Americanos de 2011, "Baby" foi bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Mas dessa vez deseja trazer o ouro para o Brasil, ganhando o que seria, a terceira medalha no judô em Tóquio.

CONFIRA ABAIXO O QUADRO DE MEDALHAS ATUALIZADO

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos