Juíza aprova acordo da BP sobre vazamento de petróleo

A juíza federal Sarah Vance, dos Estados Unidos, aprovou um acordo de US$ 4 bilhões entre a British Petroleum (BP) e o Departamento de Justiça dos EUA por acusações criminais referentes ao acidente na plataforma Deepwater Horizon, no Golfo do México.

A BP admitiu, como parte do acordo aprovado nesta terça-feira em Nova Orleans, que era responsável pelas 11 vidas perdidas em abril de 2010 na explosão que provocou o maior derramamento de petróleo no mar da história dos EUA.

A empresa, que estava no comando da plataforma que explodiu, se declarou culpada por 11 acusações de homicídio, uma acusação criminal por mentir sobre o tamanho do vazamento e vários delitos contra o meio ambiente.

Alguns sobreviventes e familiares dos trabalhadores que morreram participaram da audiência e expressaram objeções ao acordo.

Os problemas legais da BP não estão totalmente resolvidos. Em um processo judicial, o governo alega violações do "Clear Water Act". A acusação deve ir para julgamento no próximo mês.

Tom Claps, um analista da Susquehanna Financial, estima que o Grupo BP pode pagar entre US$ 6 bilhões e US$ 10 bilhões sob as novas acusações para o governo dos EUA, incluindo multas referentes ao "Clear Water Act". Os estados da Costa do Golfo podem receber entre US$ 1,5 bilhão e US$ 2,5 bilhões a mais da BP por receitas fiscais perdidas e outros custos associados com o vazamento, afirmou Claps.

A Transocean, proprietária da plataforma, e a Halliburton, que prestou serviços no local, também fazem parte do processo civil. As duas empresas estão se preparando para ir a julgamento no dia 25 de fevereiro, afirmou uma fonte familiarizada com o assunto. As informações são da Dow Jones.

Carregando...