Mercado fechado

JSL volta a cogitar IPO da Vamos, sua subsidiária

Jader Lazarini
JSL volta a cogitar IPO da Vamos, sua subsidiária

A JSL (JSLG3) anunciou, nesta segunda-feira (27), que avalia, novamente, como uma forma de captação de recursos, realizar uma oferta pública inicial das ações (IPO) de uma de suas subsidiárias, a Vamos.

Segundo o fato relevante, a abertura de capital está sujeita às condições dos mercados de capitais nacional e internacional, além das aprovações societárias competentes. Por conta disso, a JSL ressalta que, por hora, “não há qualquer decisão quanto à efetiva realização de uma oferta, bem como quanto à sua estrutura e volume”.

Saiba mais: Coronavírus: Nikkei tem maior queda diária em 5 meses por conta do vírus na China

A companhia diz que "manterá o mercado informado sobre quaisquer desdobramentos ou deliberações a respeito do tema, respeitadas as restrições constantes das normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e demais legislações aplicáveis."

JSL apresenta lucro líquido 22,4% maior no 3T19

A JSL registrou um lucro líquido de R$ 66,1 milhões no terceiro trimestre de 2019, crescimento de 22,4% em comparação ao mesmo intervalo de 2018. Segundo a agência de notícias "Bloomberg", os analistas esperavam um lucro de R$ 59,7 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 511,9 milhões, alta de 21,9%, com margem Ebitda de 28,9%.

A receita líquida total atingiu R$ 2,4 bilhões, alta de 18,6%. Quanto ao faturamento, as operações da JSL Logística apresentaram queda de 6,3%, chegando a R$ 781,8 milhões; da Movida registram avanço de 57,1%, para R$ 960,8 milhões; e da Vamos subiram 20,9%, para R$ 314,1 milhões.

Confira: Boletim Focus reduz previsão da taxa Selic para 4,25% em 2020

O resultado financeiro foi negativo em R$ 197,4 milhões no período de julho a setembro, retração de 15,2% na comparação com o mesmo período de 2018. O resultado foi impactado por uma piora da variação cambial líquida.

A alavancagem, calculada pela relação entre a dívida liquida e o Ebitda, terminou setembro em 3,6 vezes, abaixo das 4 vezes do final de junho e das 4,4 vezes de um ano antes.