Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.632,92
    -168,08 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.134,93
    -60,47 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,97
    -0,12 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.803,50
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    40.489,61
    +1.095,69 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    999,22
    +23,32 (+2,39%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.064,25
    +271,55 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.141,40
    -63,29 (-0,24%)
     
  • NIKKEI

    27.769,50
    +41,40 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    15.160,25
    -7,50 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2077
    -0,0005 (-0,01%)
     

JPMorgan lista cinco economias emergentes entre as mais vulneráveis à variante Delta

·1 minuto de leitura

NOVA YORK (Reuters) - As economias de Filipinas, Peru, Colômbia, África do Sul e Tailândia estão entre as mais vulneráveis à variante Delta da Covid-19 nos mercados emergentes, principalmente devido aos baixos níveis de vacinação, mostrou uma análise do JPMorgan nesta quinta-feira.

A análise observa a disseminação da variante Delta do vírus em comparação com o ritmo de imunização, que em alguns países não está acelerando o suficiente para compensar as taxas mais altas de transmissão.

Mesmo se a variante Delta resultar em menores taxas de hospitalização e mortalidade, disse o relatório, poderá ocorrer pressão sobre os sistemas de saúde e um maior número absoluto de mortes, provavelmente aumentando cobranças sobre alguns governos para estender ou impor novamente restrições de mobilidade.

Uma nota separada da Oxford Economics mostrou forte recuperação da atividade econômica na América Latina devido aos ganhos em mobilidade.

A análise do JPMorgan concluiu que os limites mínimos de vacinação para que a mobilidade volte ao normal variam de país para país --portanto, é melhor considerar os resultados como desempenho relativo de um país para outro.

"As estimativas do modelo sugerem que Filipinas, Peru, África do Sul, Tailândia e Colômbia enfrentam as jornadas mais longas de volta aos níveis pré-pandemia de mobilidade, enquanto Cingapura, Turquia, Índia e Brasil têm as jornadas mais curtas."

Na América Latina, os governos têm menor probabilidade de impor ou aumentar restrições de mobilidade, disse o relatório.

(Por Rodrigo Camposl)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos