Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.941,86
    +2.562,94 (+2,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.756,28
    +489,08 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,85
    +1,79 (+4,16%)
     
  • OURO

    1.805,10
    -32,70 (-1,78%)
     
  • BTC-USD

    19.040,56
    +588,60 (+3,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,53
    +8,78 (+2,37%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.074,50
    +169,25 (+1,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3893
    -0,0510 (-0,79%)
     

JPMorgan já não está sozinho como banco mais importante do mundo

Silla Brush
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Reguladores financeiros globais disseram que o JPMorgan Chase já não é o banco mais importante do mundo em riscos sistêmicos e recomendaram um nível de capital mais baixo para a instituição e vários de seus rivais.

O JPMorgan caiu uma posição no ranking anual do Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês) divulgado na quarta-feira, e agora está ao lado do Citigroup e HSBC como um dos três bancos mais importantes do mundo. O JPMorgan, no topo da lista do FSB desde 2017, não quis comentar a mudança, que se baseou em dados do final do ano passado.

Wells Fargo e Goldman Sachs também apresentaram riscos menores para o sistema financeiro e baixaram um nível. O China Construction Bank, enquanto isso, subiu uma posição na avaliação deste ano de 30 instituições.

A lista mais recente usa informações anteriores à pandemia de Covid-19, que levou bancos a reservarem dezenas de bilhões de dólares para cobrir possíveis perdas com crédito, enquanto autoridades flexibilizaram ou adiaram regras para ajudar a resposta do setor à crise. As avaliações têm como base o tamanho do banco, escopo de negócios internacionais e conexões com outras empresas, que são usados para avaliar o risco de contágio financeiro.

O JPMorgan, maior banco dos Estados Unidos, se beneficiou da maior receita com a negociação de ações e títulos em meio à pandemia, o que contribuiu para um surpreendente aumento dos resultados no terceiro trimestre. As ações do JPMorgan, que despencaram com papéis de outros bancos em março, se recuperaram recentemente, mas ainda acumulam queda de 16% desde janeiro.

Demandas de capital

Os bancos incluídos na lista do FSB, com sede em Basileia, enfrentam demandas de capital mais rigorosas e um exame mais minucioso de sua gestão de risco. O painel do FSB, que faz recomendações que supervisores nacionais podem implementar, disse que alterações no ranking refletem mudanças subjacentes na atividade dos bancos.

O FSB inclui representantes de autoridades monetárias como o Banco Central Europeu e o Banco da Inglaterra e é presidido por Randal Quarles, vice-presidente do Federal Reserve dos EUA.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.