Mercado fechará em 4 h 32 min
  • BOVESPA

    119.445,56
    -118,88 (-0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.783,61
    +383,81 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,01
    -0,62 (-0,94%)
     
  • OURO

    1.814,10
    +29,80 (+1,67%)
     
  • BTC-USD

    57.040,22
    -88,72 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,48
    +9,06 (+0,62%)
     
  • S&P500

    4.169,77
    +2,18 (+0,05%)
     
  • DOW JONES

    34.338,08
    +107,74 (+0,31%)
     
  • FTSE

    7.056,05
    +16,75 (+0,24%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.429,75
    -61,25 (-0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3402
    -0,0867 (-1,35%)
     

JPMorgan: Ethereum deve superar desempenho do Bitcoin no longo prazo

Matthew De Saro
·3 minuto de leitura

O Ethereum (ETH) subiu ao topo do mundo das criptomoedas nas últimas semanas, tirando o primeiro lugar do bitcoin (BTC).

No fechamento da matéria, o ETH subia 40,23% em abril para um novo recorde de US$ 2.700. No mesmo período, o Bitcoin teve uma queda de 7,39%, de US$ 58.772 em 1º de abril para US$ 54.428 na manhã desta quarta-feira (28).

Diferenças entre os ativos

O JPMorgan aponta a diferença entre ETH e BTC no que diz respeito a este estudo. Segundo o banco, o Bitcoin é muito mais uma mercadoria do que uma moeda neste momento, competindo com o ouro como reserva de valor. Por outro lado, o Ethereum é “a espinha dorsal da economia das criptomoedas e serve como meio de troca”. O JPMorgan comentou:

“Na medida em que possuir uma parte da atividade potencial [do ETH] é mais valioso, diz a teoria, o Ethereum deve superar o Bitcoin a longo prazo”.

Eles continuam dizendo: “Como consequência, uma proporção maior de tokens de ETH se comporta como se fosse altamente mais líquido do que o Bitcoin, 11% contra 4% por algumas estimativas no mês passado. Em um mercado com volume de negócios à vista significativamente maior, é plausível que a base subjacente da exposição comprada seja menos dependente da alavancagem na forma de futuros e swaps”, diz o banco.

Em resposta a essa grande diferença entre as duas criptomoedas neste mês, o JPMorgan divulgou suas ideias sobre por que isso ocorreu e revelou três razões principais para o movimento.

Razões do JPMorgan para a resiliência do ETH

eth
eth

Na semana passada, a indústria de criptomoedas foi duramente atingida por um choque de liquidez originado no mercado de derivativos, de acordo com o JPMorgan. Todos foram afetados, mas o Bitcoin foi atingido com mais força do que a maioria e muito mais forte do que o Ethereum. A resistência do ETH a esses eventos é considerada a razão número um para sua capacidade de se segurar enquanto o Bitcoin caiu.

“Esse choque de liquidez teve origem no mercado de derivativos, gerando liquidações consideráveis. O efeito foi possivelmente maior em futuros de Bitcoin, onde as liquidações líquidas em posições compradas desde aquele evento totalizam 23% dos contratos em aberto ex-ante; que o dito ETH não está atrás, com 17% das liquidações de longs no mesmo período”, afirma o JPMorgan.

Embora a liquidez nos mercados de BTC continue a melhorar nas classes de ativos tradicionais, o risco continua alto. Como acontece com muitos outros mercados globais, a maior parte da liquidez vem de traders que adotam o estilo de trade de alta frequência, que tendem a fugir quando a volatilidade aumenta e podem fazer com que esses choques repercutam em toda a indústria.

A segunda razão que o JPMorgan aponta é a falta de confiança do Ethereum nos mercados de derivativos para transferir ou armazenar risco.

“Em um mercado com volume de negócios à vista significativamente maior, é plausível que a base subjacente de posições compradas expostas [em Ethereum] seja menos dependente de alavancagem na forma de futuros e swaps [do que o Bitcoin].”

A terceira e última razão principal para a discrepância em BTC e ETH agora é que o Ethereum tem uma base de demanda subjacente mais durável.

“A rede ethereum há muito tempo é caracterizada por um ritmo mais alto de transações no blockchain público do que o Bitcoin, provavelmente devido em grande parte ao aumento da atividade no setor DeFi e em outras plataformas”, aponta o JPMorgan.

Com base nisso, o banco acredita que uma quantidade desproporcional de tokens de ETH age como altamente mais líquido do que o Bitcoin. Algumas estimativas colocam o número em 11% (ETH) e 4% (BTC).

O artigo JPMorgan: Ethereum deve superar desempenho do Bitcoin no longo prazo foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.