Mercado fechado

Jovem simula roubo e estupro para ganhar seguidores nas redes, diz PM de Minas Gerais

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Jovem agradeceu à Polícia Militar de Ipatinga pelo atendimento no registro aos supostos crimes. (Foto: Reprodução/Instagram)
Jovem agradeceu à Polícia Militar de Ipatinga pelo atendimento no registro aos supostos crimes. (Foto: Reprodução/Instagram)

Uma jovem de 21 anos foi detida pela PM-MG (Polícia Militar de Minas Gerais) após simular ter sido assaltada e estuprada, em Ipartinga (MG), nesta segunda-feira (21). A PM afirma que a jovem mentiu sobre os dois crimes na tentativa de ganhar mais seguidores nas redes sociais.

A jovem, de acordo com a PM, é do município de Governador Valadares e denunciou que teria sido vítima de estupro e assalto no trajeto entre as rodoviárias de Ipatinga e Governador Valadares. Quem acionou a PM foram funcionários de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Na unidade de saúde, a jovem informou que estava em uma festa em um hotel e que foi para a rodoviária. No terminal, a jovem procurou um “táxi clandestino” e que o assalto e estupro teria sido cometido pelo motorista durante o percurso.

Os militares tentaram localizar o suspeito em buscas através de imagens das câmeras de segurança, contatos no hotel e na rodoviária, e conversas com motoristas de aplicativos. A divergência nas informações levantou suspeitas nos militares.

Leia também

A jovem foi questionada novamente pela PM, desta vez na frente dos familiares, e confessou que inventou a situação para que ganhasse mais seguidores nas redes sociais.

Uma outra jovem, ouvida pela PM na condição de testemunha, disse que conversou com a então vítima do assalto e estupro inventando e contou que havia ganhado muitos seguidores após passar por um incidente. A testemunha disse à PM que a jovem se mostrou “muito interessada”, inclusive após saber de lucros via doações e vaquinhas online.

Segundo a jovem, ela e essa testemunha estavam andando quando entrou em um matagal e gravou um vídeo pedindo ajuda, dizendo que estava com a roupa rasgada e machucada. No dia seguinte, uma mulher encontrou a jovem e pagou uma corrida de aplicativo até a UPA.

A jovem confessou ainda que o sangue que aparece no vídeo surgiu através de uma gengivite e que ela mesma teria rasgado as suas roupas. Aos policiais ela disse ainda que estava com uma bolsa e que a jogou em um matagal, sem saber informar onde era o local.

Ela assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por comunicação falsa de crime.