Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.675,33
    -610,27 (-0,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.634,60
    +290,49 (+0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,35
    -0,27 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.832,70
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    40.071,59
    +110,62 (+0,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    947,23
    +16,87 (+1,81%)
     
  • S&P500

    4.419,15
    +18,51 (+0,42%)
     
  • DOW JONES

    35.084,53
    +153,60 (+0,44%)
     
  • FTSE

    7.078,42
    +61,79 (+0,88%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.627,70
    -154,72 (-0,56%)
     
  • NASDAQ

    14.877,25
    -160,50 (-1,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0248
    -0,0157 (-0,26%)
     

Jovem diz que não sabia ter comprado bicicleta furtada

·2 minuto de leitura

Numa reportagem sobre racismo no Fantástico, da TV Globo, o instrutor de surfe Matheus Ribeiro disse que não sabia que a bicicleta elétrica que havia comprado num site era furtada. O veículo já foi periciado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli, da Polícia Civil, e devolvido ao proprietário. O rapaz procurou a delegacia do Leblon após ser abordado no último dia 12 por Tomás Oliveira e Mariana Spinelli, que havia tido uma bicicleta parecida com a comprada por ele furtada minutos antes.

— A gente nunca faria uma coisa desse tipo. Assim como a gente está lutando para brigar pela nossa inocência, que a gente não roubou uma bicicleta que é que foi o que aconteceu no momento passado, a gente também está dizendo a verdade agora. Se fosse uma bicicleta que a gente soubesse que foi roubada, a gente não compraria — disse o rapaz ao Fantástico.

Matheus contou à polícia que comprou a bicicleta por R$ 3.600 num site que vende produtos usados. Ele pagou com o cartão de crédito da namorada. A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o crime de receptação.

Ao Fantástico, Matheus disse que pediu ao vendedor a nota fiscal:

— Então, a gente acabava sempre cobrando a nota fiscal. Depois, ele disse: “O cara ainda está viajando, eu não tenho contato com o primeiro dono ainda, ele está viajando, está viajando”. E esse foi o desfecho.

Sobre o fato de a chave da bicicleta não ser original, a namorada de Matheus, Maria Elisa Sales Faes, disse que não reparou na peça porque nunca tinha tido uma bicicleta elétrica.

— A gente pensou até que o dono pudesse ter perdido a original e ter feito alguma cópia — afirmou Matheus.

Em outro registro na delegacia do Leblon, o rapaz consta como vítima de um suposto crime de calúnia cometido por Mariana Spinelli e Tomás Oliveira. O casal é acusado de racismo pelo professor de surfe por tê-lo interpelado na porta do Shopping Leblon. Na ocasião, eles haviam acabado de ter a bicicleta elétrica, idêntica à de Matheus, furtada.

Em depoimento, Matheus disse acreditar que o fato só tenha acontecido por ele ser negro. Ele negou que tenham havido ofensas expressas de caráter racial, mas disse ter se sentido triste, indignado e com raiva porque Mariana e Tomás já chegaram o acusando do furto e, em momento algum, disseram que tinham acabado de ser vítimas de um crime.

Já o casal afirmou que não abordou Matheus “em razão da cor da pele” do jovem e disse que teriam o mesmo comportamento caso de tratasse de uma pessoa branca. A defesa disse ao Fantástico que o casal lamenta o mal-entendido. Na semana passada, Igor Martins Pinheiro, de 22 anos, foi preso sob suspeita do furto da bicicleta de Mariana e Tomás. A polícia obteve imagens que mostram Igor cortando a tranca da bicicleta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos