Mercado fechará em 2 h 48 min
  • BOVESPA

    113.332,74
    +1.059,73 (+0,94%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.622,51
    +101,08 (+0,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,91
    +1,01 (+1,30%)
     
  • OURO

    1.945,10
    +5,90 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    23.138,30
    -35,99 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,98
    +6,19 (+1,19%)
     
  • S&P500

    4.040,69
    +22,92 (+0,57%)
     
  • DOW JONES

    33.790,96
    +73,87 (+0,22%)
     
  • FTSE

    7.773,25
    -11,62 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.086,00
    +118,00 (+0,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5300
    -0,0170 (-0,31%)
     

Josué chama Alckmin para almoço no dia da assembleia que quer destituí-lo na Fiesp

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Fiesp, Josué Gomes da Silva, convidou o vice-presidente e ministro da Indústria, Geraldo Alckmin, para um almoço na Fiesp nesta segunda-feira (16).

Vai ser um dia movimentado na federação das indústrias paulistas, porque o evento acontece no mesmo dia em que está marcada a assembleia geral extraordinária convocada para ouvir as queixas de sindicatos insatisfeitos com a gestão de Josué na Fiesp.

A coincidência das agendas é vista como um sinal de força de Josué, que mostra afinação com o governo neste momento de turbulência da entidade.

Para a reunião com Alckmin foram chamados os presidentes e delegados de sindicatos, diretoria, conselheiros e diretores dos departamentos da Fiesp, que discutirão as propostas da indústria com o ministro.

Mais tarde, acontece a tão esperada assembleia, cujo edital, assinado por Josué, informa aos delegados representantes (nomes indicados pelos sindicatos filiados) que pretende tratar de duas questões. A primeira são os pontos apontados pelos sindicatos insatisfeitos, e a segunda, o exercício do direito a ampla defesa e contraditório do presidente da entidade em relação às queixas.

A reação dos insatisfeitos começou a vir à tona depois que a Fiesp, sob Josué, saiu em defesa da democracia quando Bolsonaro colocava as urnas eletrônicas sob suspeição.