Mercado fechará em 3 h 19 min

José de Abreu é condenado a indenizar Bia Doria em R$ 50 mil por comparação com vaca

Emily Santos
·3 minutos de leitura
José de Abreu é condenado a indenizar Bia Doria em R$ 50 mil. (Foto: Reprodução/Instagram @biadoria/Twitter @zehdeabreu)
José de Abreu é condenado a indenizar Bia Doria em R$ 50 mil. (Foto: Reprodução/Instagram @biadoria/Twitter @zehdeabreu)

José de Abreu foi condenado a pagar uma indenização de R$ 50 mil para Bia Doria, a esposa do governador de São Paulo João Doria (PSDB), por causa de um tuíte em que comparava a artista plástica a uma vaca.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

A condenação por dano moral foi decretada pelo juiz Douglas Iecco Ravacci, da 33ª Vara Cível da Comarca de São Paulo. O jurista analisou a mensagem de 2016 publicada pelo ator, em que ele diz que “STF proíbe vaquejada mas permite que Bia Doria dê entrevista? É um crime contra os animais...”.

A publicação do ator aconteceu após uma entrevista de Bia ao jornal Folha de São Paulo viralizar. Na ocasião, a artista plástica comparou a favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, à Etiópia, entre outras coisas que foram amplamente criticadas.

Leia também

Além da indenização, pela decisão do juiz, Abreu vai arcar com os custos processuais e também com os honorários advocatícios de 10% do valor atualizado da condenação. O ator ainda pode recorrer da decisão.

Histórico do processo

Até dezembro de 2019, a justiça não tinha conseguido notificar o ator sobre o processo, para que ele pudesse se defender, por não tê-lo localizado nos endereços aos quais teve acesso. Na época, já tinha dois anos que aconteciam as tentativas de localizar Abreu, e João Doria veio à publico criticar o ator.

“Vejam até onde vai a covardia do Zé de Abreu. Um notório ativista da esquerda e defensor do Lula. Que desrespeita mulheres, cospe na cara das pessoas e, após condenado, foge covardemente da justiça. Atitudes desprezíveis”, publicou o governador.

O ator, então, passou a ser citado por meio de edital público a pedido do juiz do caso, que justificou que os meios de localizar o réu tinham sido exauridos.

Abreu, que mora na Nova Zelândia, passou a se defender das acusações. A defesa afirmou que o ator se valeu do direito de liberdade de expressão para fazer a publicação.

O magistrado não aceitou a justificação da defesa, e tomou a afirmação do ator como uma “verdadeira ofensa pessoal”, e acabou por decidir pela condenação de Abreu.