Mercado abrirá em 4 h 5 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,47
    +0,39 (+0,53%)
     
  • OURO

    1.782,30
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    33.209,52
    -813,21 (-2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    803,41
    -6,78 (-0,84%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.086,73
    +12,67 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.347,25
    +84,25 (+0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9329
    +0,0044 (+0,07%)
     

Jornalista é agredida por filmar confusão generalizada no Campeonato Piauiense; veja

·2 minuto de leitura


Cenas lamentáveis ocorreram no Campeonato Piauiense. No confronto entre Altos e Fluminense-PI, a jornalista Emanuele Madeira, do Globoesporte.com, foi agredida e teve seu celular tomado por um homem uniformizado com a vestimenta do Altos enquanto filmava a briga generalizada entre as duas equipes.
+ Confira a classificação do Campeonato Piauiense

A discussão entre Wallace Lemos, técnico do Flu-PI, e o presidente do Jacaré, Warton Lacerda, ocasionou toda a polêmica em frente aos vestiários do estádio Felipão. Durante o bate-boca entre jogadores e integrantes das comissões técnicas, a jornalista, que filmava o ocorrido com um celular, foi surpreendida por um homem que retirou à força o celular de suas mãos e ainda a agrediu.

Emanuele Madeira registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil. Em contrapartida, o Altos nega que a pessoa flagrada usando camisa do clube faça parte do seu estafe.

- Ei, ei, não tô sendo filmado aqui, não, moça – disse o funcionário.
- Nem toque – responde a jornalista.
- Pois é, pois não venha filmar ninguém aqui, não - ameaçou o homem e logo em seguida toma o celular da jornalista.

O funcionário em questão é João Paulo dos Anjos, que antes de devolver o aparelho para a cronista, segurou Emanuele pelo pescoço até perceber que estava sendo filmado pelo cinegrafista.

- Ele tomou o celular da minha mão, e eu fui para cima dele tentando recuperar. Ele tentou me impedir me afastando de lado. Por conta do cinegrafista ter chegado em cima, ele devolveu meu celular. A intenção dele era apagar o vídeo. Ainda tem a tentativa de obstruir o nosso trabalho – explicou a jornalista.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos