Jorge Paulo Lemann é "Warren Buffett" brasileiro, diz Financial Times

SÃO PAULO – O brasileiro Jorge Paulo Lemann, empresário que comprou a marca Heinz nesta semana, é chamado de “Warren Buffett brasileiro” pelo jornal britânico Financial Times.

De acordo com o FT, o empresário é conhecido por fazer parte de grandes fusões e aquisições, sendo que a sua mais famosa criação foi a AB InBev, uma fusão entre as empresas de cervejas Ambev e Interbrew. Assim como o investidor americano Buffett, diz a publicação, Lemann possui olho para os investimentos.

“Ao contrário dos americanos, que só têm olhos para o setor de tecnologia, os empresários brasileiros costumam investir em setores considerados antigos, como o de cerveja, cimento, aço e até hambúrguer”, afirmou Lemann em uma entrevista para a Revista Istoé Dinheiro, cita a publicação.

Brasileiro mais rico
Após a queda nos preços das ações da empresa de Eike Batista, a Bloomberg nomeou Lemann como o brasileiro mais rico, com uma fortuna de US$ 19,9 bilhões, além de ocupar a 36º posição entre os mais ricos do mundo.

Formado pela Universidade de Harvard e ex-campeão brasileiro de tênis, Lemman se mudou para a Suíça, onde foi trabalhar do Banco Credit Suisse. Em 1971, fundou sua própria instituição financeira, o Banco Garantia, mas uma quebra no mercado de ações o fez perder quase tudo. Junto com os seus sócios, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, ele vendeu o Garantia ao Credit Suisse por cerca de US$ 1 bilhão.

Heinz
Na última quinta-feira (14), a Berkshire Hathaway, conglomerado do bilionário Warren Buffett, e a 3G Capital, de Lemann, anunciaram um acordo para comprar a H.J. Heinz por 23,2 bilhões de dólares mais dívida. A Heinz afirmou que a operação é a maior já realizada na indústria de alimentos.

No Brasil, a empresa americana é dona da marca Quero Alimentos, depois de pagar cerca de R$ 1 bilhão por 80% da companhia há cerca de dois anos.

Carregando...