Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.571,49
    +42,52 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,17
    -0,50 (-0,80%)
     
  • OURO

    1.794,00
    +15,60 (+0,88%)
     
  • BTC-USD

    56.154,82
    +23,46 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.292,63
    +29,67 (+2,35%)
     
  • S&P500

    4.150,62
    +15,68 (+0,38%)
     
  • DOW JONES

    33.997,95
    +176,65 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.907,10
    +47,23 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.784,25
    -10,00 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6919
    -0,0106 (-0,16%)
     

Johnson & Johnson e IDT Biologika fecham acordo para produzir vacinas anticovid na Alemanha

·1 minuto de leitura
Doses da vacina Johnson & Johnson

O governo alemão aplaudiu a assinatura de um acordo entre o grupo americano Johnson & Johnson e o laboratório IDT Biologika para produzir doses de vacinas anticovid na Alemanha, em um contexto de atrasos na entrega de doses na UE.

O acordo facilitará que Johnson & Johnson utilize "durante três meses" as instalações da IDT Biologika na Alemanha para a embalagem da vacina, o que "aumentará a confiabilidade das entregas" do imunizante na UE, considerou o ministro alemão de Economia, Peter Altmaier.

Berlim questionou o circuito de produção da Johnson & Jonhson: as vacinas fabricadas na Europa são enviadas aos Estados Unidos para serem embaladas. Depois disso, o produto finalizado passa a estar sob a legislação americana, que restringe as exportações de vacinas.

Realizando esse proceso final em uma fábrica da Alemanha, será possível "aumentar a possibilidade de distribuir essa vacina por todo o mundo", afirmou a Johnson & Johnson em um comunicado transmitido à AFP.

Espera-se que a aprovação da UE do imunizante da Johnson & Johnson acelere a campanha de vacinação no bloco comunitário.

No entanto, o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, alertou na sexta-feira que as primeiras doses seriam entregues "muito em breve" a partir de meados de abril.

A UE encomendou 200 milhões de doses da vacina americana e pode pedir outros 200 milhões.

Este imunizante é o primeiro contra a covid-19 que precisa de apenas uma injeção em vez de duas, e pode ser armazenado na temperatura de um frigorífico.

Desse modo, a IDT Biologika se torna o "décimo produtor" associado à Johnson & Johnson. O laboratório alemão também assinou um contrato com a AstraZeneca em fevereiro para produzir sua vacina na Europa.

fcz/smk/esp/jvb/mb/aa