Mercado abrirá em 1 h 29 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,10
    +0,92 (+1,53%)
     
  • OURO

    1.743,70
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    64.387,36
    +1.678,09 (+2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.389,10
    +95,11 (+7,35%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.905,89
    +15,40 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.013,75
    +38,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8344
    +0,0032 (+0,05%)
     

Johnson & Johnson começará a distribuir sua vacina na Europa em 19 de abril

·2 minuto de leitura
Dose da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson

A vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson será distribuída na Europa a partir de 19 de abril, informou a empresa à AFP nesta segunda-feira (29).

Esta vacina foi, em meados de março, a quarta a obter a autorização da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), depois das da Pfizer-BioNTech, Moderna e AstraZeneca. Atualmente é aplicada apenas nos Estados Unidos e África do Sul, mas já foi aprovada pelo Canadá.

Para aumentar sua produção e responder à demanda, a Johnson & Johnson fechou vários acordos nesses últimos meses com laboratórios e terceirizados europeus, que serão responsáveis pela sua embalagem: Sanofi na França, Catalent na Itália e IDT Biologika na Alemanha.

O princípio ativo, que fornece eficácia à vacina, será produzido no centro que a Johnson & Johnson possui em Leiden, Holanda.

A União Europeia, que fez um pedido de 200 milhões de doses ao laboratório americano (com opção para outros 200 milhões de doses adicionais), receberia cerca de 55 milhões de doses no segundo trimestre do ano, explicou em março Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. O laboratório não comunicou o calendário exato de suas entregas.

A vacina é baseada em um vetor viral, aplicando uma tecnologia já usada por esta empresa especialmente contra o vírus do ebola.

Além disso, usa outro vírus atenuado como portador, transformado para inserir instruções genéticas de uma parte do vírus responsável pela covid-19. Quando chega às células, produz uma proteína típica do SARS-CoV-2 (vírus da mesma família que provocou a Síndrome Respiratória Aguda Grave no sudeste asiático em 2002-2004), que permite ao sistema imunológico reconhecê-la.

Esta vacina é a primeira de uma só dose a receber a autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O grupo farmacêutico também se comprometeu a vendê-la ao preço de custo.

lem/soe/sr/age/mb/aa