Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.604,58
    +829,07 (+1,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Johnson e Biden concordam em "fortalecer a aliança" entre Londres e Washington

·2 minuto de leitura
Jornais britânicos noticiaram que Boris Johnson foi o primeiro líder europeu a receber um telefonema do presidente dos EUA, Joe Biden

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeram estreitar os laços e combater as mudanças climáticas em sua primeira conversa telefônica desde a posse do democrata, informou o gabinete de Johnson neste sábado (23).

Boris Johnson parabenizou Joe Biden por sua posse e "ambos os líderes previram fortalecer a aliança entre as duas nações", disse Downing Street.

Johnson tuitou uma foto sua em que aparece rindo ao telefone, afirmando que foi "ótimo conversar com o presidente Joe Biden esta noite".

A conversa pareceu estreitar um pouco a relação, que esfriou depois que Biden descreveu Johnson em 2019 como o "clone físico e emocional" do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Biden também foi muito crítico em relação à política de Johnson sobre o Brexit, mas ambos os líderes "falaram dos benefícios de um potencial acordo de livre comércio entre os dois países", de acordo com o comunicado, enquanto Johnson disse que pretendia resolver os atuais problemas comerciais "assim que for possível".

Ambos os líderes "voltaram a se comprometer com a aliança da Otan" e "compartilharam valores como a promoção dos direitos humanos e a proteção da democracia", informou o comunicado, após as críticas de Trump à aliança transatlântica.

Ambos os líderes ressaltaram os “desafios significativos que o mundo enfrenta durante a pandemia”. Os Estados Unidos são o país do mundo com o maior número de mortes registradas por covid-19, mesma posição que o Reino Unido ocupa na Europa.

No entanto, Johnson e Biden disseram que a pandemia criou "oportunidades incomparáveis para reconstruir [um mundo] melhor e mais verde, juntos".

De sua parte, Johnson "comemorou muito" a decisão de Biden de reincorporar os Estados Unidos ao acordo climático de Paris e à Organização Mundial da Saúde (OMS), e também aplaudiu o compromisso do presidente americano de tornar seu país neutro em carbono até 2050.

Johnson também elogiou a decisão de Biden de promover a participação dos Estados Unidos na aliança Covax para facilitar o acesso à vacina contra covid-19 nos países mais desfavorecidos.

Os dois líderes disseram que estavam ansiosos para se encontrar e trabalharão juntos na cúpula do clima das Nações Unidas na Escócia, em novembro.

am/lpt/jvb/am