Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    17.098,56
    +373,76 (+2,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

John Boyega tem "conversa séria" com a Disney após racismo em "Star Wars"

Rafael Monteiro
·1 minuto de leitura
John Boyega como Finn em Star Wars: A Ascensão Skywalker (reprodução)
John Boyega como Finn em Star Wars: A Ascensão Skywalker (reprodução)

John Boyega provocou discussão na sociedade e no mundo do cinema ao dizer em entrevista à GQ que Finn, seu personagem na saga Star Wars, havia sido deixado de lado nos filmes por ser negro. Em entrevista recente para o Hollywood Reporter, no entanto, o ator britânico disse que foi convidado por um executivo da Disney para uma “conversa séria” sobre as denúncias que havia feito e saiu satisfeito da reunião.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

"Foi uma conversa muito honesta e transparente. Eles falaram muito sobre a maneira como viam as coisas, mas também me deram a chance de explicar como foi minha experiência", disse Boyega. Além de Finn, Boyega havia reclamado do desenvolvimento de Rose, vivida por pela atriz de descendência asiática Kelly Marie Tran (Rose Tico).

Leia também

"Espero que, ao ser tão aberto sobre minha carreira, nesta fase, eu consiga ajudar o próximo cara, o cara que quer ser assistente do diretor de fotografia, o cara que quer ser produtor. Espero realmente que essa conversa não seja mais um tabu ou um elefante na sala, já que alguém veio antes e falou o que precisava", refletiu.

Na entrevista, Boyega revela que a experiência de "se sentir isolado" em um filme do porte de Star Wars o motivou a fundar sua própria produtora, UpperRoom Productions, que irá produzir filmes em idiomas africanos para a Netflix. “Com minha carreira de ator e meu privilégio conquistado, estou apenas tentando usar isso para expandir a oportunidade", afirmou.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube