Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.048,10
    -794,41 (-1,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Jogadores fazem greve na Twitch em protesto contra ataques de ódio

·2 minuto de leitura
Um joystick com o logo do Twitch ao fundo, em 15 de junho de 2021, em Toulouse, França (AFP/Lionel BONAVENTURE)

Jogadores da plataforma Twitch convocaram uma greve de transmissões ao vivo nesta quarta-feira (1º) para protestar contra a onda de assédio racista e misógino que muitos criadores de conteúdo enfrentam e para exigir que a empresa adote medidas para protegê-los melhor.

"Hoje é #ADayOffTwitch ('um dia fora da Twitch') e francamente... É catártico", escreveu em sua conta no Twitter RekItRaven, uma jogadora negra que se autodenomina "não binária" - quem não se identifica como homem nem como mulher.

Raven e outros criadores de conteúdo se uniram para impulsionar a greve. "Adiantamos a data porque não é mais apenas assédio. As pessoas atacadas veem suas informações pessoais transmitidas na Twitch. Estava ficando perigoso", disse à AFP.

Devido a ondas recorrentes de racismo e referências ao grupo supremacista branco Ku Klux Klan, Raven lançou recentemente a hashtag #TwitchDoBetter ('Twitch, melhore') no Twitter. Dezenas de usuários, sobretudo não brancos e/ou da comunidade LGBTQ, aderiram à campanha para denunciar a falta de ação da plataforma.

Um porta-voz da Twitch afirmou à AFP que o site "apoia o direito dos streamers de falar e informar questões importantes".

“Ninguém deveria sofrer ataques maliciosos por ser quem é ou por suas opiniões, e estamos trabalhando intensamente para evitar que contas proibidas passem pelos filtros, assim como em melhorias para tornar a Twitch mais segura para os criadores”, detalhou.

Lançada em 2011 e adquirida pela Amazon três anos mais tarde, a Twitch recebe mais de 30 milhões de visitantes por dia. Os usuários costumam assistir a jogos de videogame com comentários ao vivo dos próprios jogadores famosos e podem interagir com eles e com outros espectadores.

Nos últimos meses, o fenômeno dos "ataques de ódio" assumiu uma dimensão sem precedentes, de acordo com as vítimas, cujas janelas de bate-papo são regular e repentinamente inundadas por insultos relacionados à sua cor de pele, orientação sexual, religião... Até mesmo com apelos por suicídio e imagens ultra-violentas.

juj/Dt/rle/llu/yow/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos