Mercado fechará em 2 h 52 min

João Paulo, Cuca e o Santos comovente

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Cuca apaziguou o ambiente e convenceu os jogadores de que o Santos pode brigar por títulos. Foto: Fernanda Luz/AGIF
Cuca apaziguou o ambiente e convenceu os jogadores de que o Santos pode brigar por títulos. Foto: Fernanda Luz/AGIF

O Santos está classificado para as oitavas-de-final da Libertadores da América, após vencer o Olímpia por 3 a 2, em Assunção. O resultado levou o Santos aos 13 pontos, garantindo a primeira posição do grupo. A campanha é uma das duas melhores do torneio, ao lado do Palmeiras.

É preciso ressaltar o esforço e a competitividade do Santos, num momento muito delicado do clube. Com o presidente afastado e o vice-presidente assumindo em meio ao turbilhão de dificuldades, os jogadores superaram qualquer tipo de crise política e financeira e deram tudo em campo. João Paulo foi o destaque da partida, onde o Santos não teve a dupla de zaga titular com Lucas Veríssimo e Luan Peres, suspensos. Madson foi improvisado ao lado do jovem Alex.

Completo, o Santos tem uma boa equipe. O problema é a falta de mais opções num elenco cheio de promessas da base, aproveitadas em momentos de emergências. Cuca tem confiado na molecada e convencido os experientes a se dedicarem bastante. O Santos compete e briga muito pela vitória. Isso é mérito de Cuca, um apaziguador no ambiente e preocupado em olhar para o presente e futuro, esquecendo do caos que encontrou.

O Santos segue sem poder contratar reforços, se não quitar as dívidas com Hamburgo e Huachipato. Orlando Rollo tem dito que vai resolver essa situação, mas já se passaram 72 horas da sua chegada à presidência e o Santos ainda não pagou os clubes.

Vamos aguardar. O Santos está em três competições e talvez não tenha fôlego para disputar o título em nenhuma delas, mas o esforço dos profissionais têm sido comovente e desafiador.