Mercado abrirá em 9 h 50 min
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,02
    +0,14 (+0,20%)
     
  • OURO

    1.863,40
    -2,50 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    40.395,50
    +1.492,10 (+3,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.011,13
    +42,29 (+4,37%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.509,31
    -332,82 (-1,15%)
     
  • NIKKEI

    29.375,94
    +214,14 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    14.139,00
    +14,25 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1452
    +0,0137 (+0,22%)
     

Produção da CoronaVac está totalmente parada e ritmo da imunização pode diminuir, diz governo de SP

·2 minuto de leitura
Foto: REUTERS/Carla Carniel
Foto: REUTERS/Carla Carniel
  • Instituto Butantan entrega 1,1 milhão de doses da CoronaVac

  • Butantan vai suspender produção do imunizante contra a covid-19 por falta de insumos

  • 10 mil litros de IFA da SinoVac estão parados, sem autorização da China para embarcar

O governo João Doria (PSDB) afirmou nesta sexta-feira (14) que o processo de produção da Coronavac está totalmente parado devido a falta de insumos e que ritmo de imunização contra a Covid-19 no estado de São Paulo pode diminuir.

Segundo o Instituto Butantan, há 10 mil litros dos insumos na China a espera de autorização. O material permanece parado em meio a uma crise diplomática causada por críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à China.

Leia também

Nesta sexta, o Instituto Butantan entregou o último lote da Coronavac, de cerca de 1 milhão de doses. A produção da vacina foi totalmente paralisada nesta semana.

"Quando vamos parar? Nós esperamos de fato que o programa estadual não pare. Podemos diminuir o ritmo, mas nos até esse momento não paramos", disse a coodenadora estadual de imunização, Regiane de Paula.

Até o momento, há vacinas para os grupos anunciados até o próximo dia 21, que inclui pessoas com comorbidades e deficiência permanente.

O governador João Doria responsabilizou o governo federal pela paralisação das autorizações de remessas de insumos para o Brasil. "Todos sabem, temos um entrave diplomático, fruto de declarações desastrosas feita pelo governo federal contra a China e isso gerou um bloqueio por parte do governo chinês da liberação do embarque dos insumos", disse Doria.

Butantan entrega lote de novo contrato

Foto: AP Photo/Eraldo Peres
Foto: AP Photo/Eraldo Peres

Nesta sexta-feira (14), o Instituto Butantan entrega mais 1,1 milhão de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês SinoVac. As doses serão direcionadas ao Ministério de Saúde.

A entrega já faz parte do segundo contrato do Instituto Butantan com o governo federal, de 54 milhões de doses que deveriam ser entregues até o dia 30 de agosto. O primeiro lote, de 46 milhões de doses, foi finalizado na última quarta-feira (12).

Como consequência da falta de vacinas, pelo menos 15 estados brasileiros suspenderam a aplicação da CoronaVac, seja da primeira ou da segunda dose.

Em abril, o Butantan parou de envazar a CoronaVac na fábrica do Brasil, mas continuou com o processo de rotulagem e controle de qualidade para entregar as doses restantes ao Ministério da Saúde.

***Com informações de Artur Rodrigues, da Folhapress