Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.666,77
    +3.200,79 (+6,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

João Campos pressiona deputados a votarem em Lira na eleição da Câmara

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
João Campos, do PSB, está no segundo turno e concorre contra Marília Arraes, do PT (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)
A eleição acontece na segunda-feira (1º) e será por meio de votação secreta (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)

O prefeito de Recife, João Campos (PSB), tem pressionado deputados federais do PSB de Pernambuco a votarno deputado Arthur Lira (PP-AL) para presidente da Câmara. A eleição acontece na segunda-feira (1º) e será por meio de votação secreta.

De acordo com a revista Época, o parlamentar tem objetivo de garantir o voto deles no candidato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Acontece que a pressão de Campos nos deputados do partido vai na contramão da decisão do Diretório Nacional do PSB, que decidiu, por 80 votos a zero, não apoiar candidatos de Bolsonaro à Presidência da Câmara. No entanto, segunda a revista, Campos continua insistindo pelo voto em Lira.

Leia também

Nesta sexta-feira (29), o presidente Bolsonaro exonerou os ministros Tereza Cristina (Agricultura) e Onyx Lorenzoni (Cidadania). Com isso, eles reassumem os mandatos como deputados federais pelo DEM.

Ou seja, a manobra tem como objetivo garantir o voto deles no candidato governista à presidência da Câmara, deputado Arthur Lira.

Interferência do Planalto

Oficialmente, o DEM integra o bloco do candidato Baleia Rossi (MDB-SP), apoiado pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Tanto Maia como Baleia Rossi têm reclamado da interferência do Palácio do Planalto na eleição à presidência da Câmara. O emedebista acusou Bolsonaro, na quinta-feira, de uma “brutal interferência” no pleito. Segundo ele, o presidente tem coagido e perseguido deputados contra sua candidatura.

Já Rodrigo Maia denunciou a promessa de emendas orçamentárias aos parlamentares em troca do apoio a Lira. “É um alerta aos deputados e deputadas que a intenção do presidente é transformar o Parlamento num anexo do Palácio do Planalto, o que enfraquece o mandato de cada deputado e deputada e o protagonismo da Câmara nos debates com a sociedade”, disse.

A poucos dias para a eleição, Bolsonaro tem pedido votos abertamente para o líder do centrão e afirmou: “se Deus quiser, vamos influir na eleição do Congresso”.