Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,87
    +0,60 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.855,00
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    32.434,04
    -1.013,20 (-3,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,36
    -23,54 (-3,48%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.464,25
    +102,75 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6362
    -0,0158 (-0,24%)
     

João Campos nega responsabilidade por material ofensivo a Marília Arraes: “Não faço tudo por um voto”

·3 minuto de leitura
João Campos, do PSB, está no segundo turno e concorre contra Marília Arraes, do PT (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)
João Campos, do PSB, está no segundo turno e concorre contra Marília Arraes, do PT (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)

Candidato do PSB à prefeitura do Recife, João Campos falou nesta segunda-feira sobre o clima agressivo que tomou conta da disputa com sua prima Marília Arraes, do PT, no segundo turno. O filho do ex-governador Eduardo Campos lamentou a atmosfera e negou ser responsável pela divulgação de panfletos e links nas redes sociais com informações falsas sobre a adversária.

“Tem gente querendo alegar que (o material) é da nossa candidatura. Eu fui à Justiça Eleitoral, pedi que o Ministério Público Federal e a Polícia pudessem investigar quem colocou, porque eu faço campanha respeitando as pessoas. Eu não faço de tudo por um voto não, eu tenho respeito pelas pessoas”, declarou à rádio CBN.

O próprio João e Marília protagonizaram um debate bastante quente na Rádio Jornal quinta-feira passada. O político criticou as alianças da adversária no segundo turno, enquanto ela questionou a capacidade do primo de comandar a capital pernambucana. “Ninguém sabe se quem vai mandar é sua mãe”, chegou a dizer.

Leia também

Nesta segunda, o candidato tentou apaziguar a situação e prometeu unir os cidadãos se for eleito. "Vamos juntar quem tem divergência um com o outro mas consegue se unir em algum ponto. É isso que a cidade precisa, de um prefeito que consiga aglutinar forças para fazer o Recife avançar ainda mais."

João teve 29,17% dos votos no primeiro turno, contra 27,95% de Marília. De acordo com a Pesquisa Datafolha da semana passada, porém, a candidata do PT tem 41% das intenções de voto para este domingo, contra 34% do adversário.

“Estou muito otimista que nessa semana a gente vai poder fazer, mais uma vez, uma campanha crescente, que aglutine forças e possa ser vitoriosa no próximo domingo. Eu fico muito feliz em poder ter recebido não apenas apoio de quem está representando na política, mas o apoio das pessoas, sobretudo”, disse João.

Eleições em Recife

Pouco mais de um milhão de recifenses vão às urnas para decidir o segundo turno em uma eleição com detalhe curioso: será decidida entre primos. Os candidatos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT).

Campos chegou ao segundo turno de uma das votações mais apertadas entre capitais ao fazer 29.17% dos votos válidos. Prestes a completar apenas 27 anos, ele é filho do ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014.

Marília, por sua vez, é neta do também ex-governador Miguel Arraes e prima de Eduardo Campos. Atualmente é deputada federal por Pernambuco e foi, entre 2009 e 2019, vereadora no Recife.

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 moveram praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa foi uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.